BUSCAR
BUSCAR
Argentina
Aglomeração em velório de Maradona preocupa: ‘Pode ter pico de casos de covid’, diz especialista
Durante o velório, houve confusão e a polícia chegou a atirar gás lacrimogêneo para dispersar os fãs. Consequentemente, mais correria e os poucos que ainda estavam de máscara tiveram de tirá-la para conseguir respirar melhor.
Estadão
27/11/2020 | 08:23

A aglomeração de pessoas após a morte de Diego Maradona pode fazer com que a Argentina tenha sérios problemas nos próximos dias em relação à covid-19. Emocionados, cerca de 1 milhão de pessoas foram até a Casa Rosada para participar do velório do craque argentino. Mas a homenagem pode desencadear um número elevado de contaminação pela doença. Muitos fãs não usavam máscara e poucos respeitavam o distanciamento social.

Uma cena comum durante o velório, que durou quase 12 horas, foi a de fãs chorando, se abraçando e esquecendo completamente da pandemia do novo coronavírus. Na opinião de Eliseu Alves Waldman, epidemiologista e professor da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, tal ‘descuido’ pode custar caro para o país e os habitantes de Buenos Aires.

Durante o velório, houve confusão e a polícia chegou a atirar gás lacrimogêneo para dispersar os fãs. Consequentemente, mais correria e os poucos que ainda estavam de máscara tiveram de tirá-la para conseguir respirar melhor. “Um aspecto menos grave é que boa parte dos acontecimentos foi ao ar livre, mesmo assim houve uma grande aglomeração, sem respeitar o distanciamento, e isso é muito perigoso”, disse o médico.

A chegada do corpo de Maradona à sede do governo da Argentina aconteceu por volta das 4 da manhã, horário local e de Brasília. O velório começou às 6h e foi até cerca de 17h. Por volta das 15h, teve novo início de confusão, pois a polícia tentou dispersar os torcedores para encerrar a cerimônia, que inicialmente acabaria às 16h.

A aglomeração continuo durante o trajeto do corpo até o cemitério Jardin Bela Vista. Uma multidão se amontoava nas margens da rodovia por onde passou o cortejo que levava o corpo do camisa 10. A pista da rodovia por onde passava o corpo estava praticamente parada, tomada por carros estacionados para o adeus a Maradona. Pessoas cumprimentavam a caravana e, emocionadas, acenavam e tentavam ter pela última vez o contato com o craque. Muitos se abraçaram. No total, a Argentina já teve mais de 1,4 milhão de casos e quase 38 mil mortos por covid.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.