BUSCAR
BUSCAR
Decisão
Juiz considera que homem foi torturado em programa de Rodrigo Faro
O juiz alega que Walmor Ferreira teve 12 dentes arrancados em apenas 2 dias
Notícias ao Minuto
27/01/2018 | 13:55

O Melhor do Brasil já não é exibido desde 2014, mas voltou ao centro de uma confusão. Segundo informa o Olhar Direto, o juiz Yale Mendes entendeu que um participante foi torturado durante um processo de embelezamento do programa.

O juiz alega que Walmor Ferreira teve 12 dentes arrancados em apenas 2 dias para que sua arcada dentária fosse ajustada aos padrões exigidos pela atração.

“Constata-se, ainda, que a gravação ocorreu em 21/12/2011 e o documento de fl. 213 definindo o tratamento que seria realizado pela Clínica Oral Vitallis, está com a data de 20/12/2011, portanto, foi assinado 01 dia antes da gravação, o que é inacreditável, pois além de ter extraído 12 dentes em 02 dias, o requerente foi obrigado a fazer o molde da prótese dentária e a usá-la com a boca inchada e extremamente dolorida, tanto que, conforme afirmou na exordial, foi aconselhado a não fazer movimentos bruscos durante a conversa que teria com o apresentador Rodrigo Faro, uma vez que a prótese móvel (dentadura) poderia se soltar da gengiva”, afirmou o juiz da 7ª Vara Cível de Cuiabá.

“Logo, vê-se que a preocupação era com o programa da TV e o pouco tempo que dispunham para deixar ‘aparentemente’ arrumados os dentes do Autor, não se preocupando se estavam mutilando-o, causando dor e humilhando-o”, analisou Yale.

O juiz, então, condenou a Record e o apresentador Rodrigo Faro a pagar o montante R$ 275 mil de danos morais, estéticos e materiais ao cuiabano participante do quadro ‘Arruma Meu Marido’, que foi ao ar em 2012.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.