BUSCAR
BUSCAR
Drama
Fani Pacheco revela problemas com depressão e peso: “Vontade era morrer”
Fani buscou ajuda de um psicólogo e de um psiquiatra, em que descobriu que estava com depressão pós-luto da mãe
Redação
30/05/2018 | 19:15

Fani Pacheco ganhou fama no Brasil ao participar da sétima edição do Big Brother Brasil. E de lá para cá, a modelo plus size passou por uma série de momentos difíceis em sua vida, se tornando compulsiva por comida e descobrindo a depressão.

Em entrevista à revista QUEM, ela contou que era paranóica com o seu peso desde os 14 anos e tinha medo de engordar, mas sem deixar de comer o que gostava. Porém, com a morte da mãe (Adele Mara morreu aos 59 anos, vítima de um câncer, em 2014), Fani viu sua vida se transformar completamente.

Seu primeiro susto veio após uma crise de síndrome do pânico enquanto era apresentadora de um programa da RedeTV!. “Mudei para o Rio porque estava me sentindo muito sozinha em São Paulo, ficava em hotel e tal. Só que ainda não sabia que era síndrome do pânico aqui no Rio também. Começava a chorar do nada. Até que ficou insuportável ir trabalhar e sair na rua”, relatou.

Com a saída da emissora e a volta ao Rio de Janeiro, ela começou a ter compulsão alimentar. Mesmo com a rotina de malhação e da prática de esportes, a modelo via seu corpo engordar muito mais do que emagrecer, até entender que isso estava relacionado ao transtorno vivido por ela.

Em seguida, Fani buscou ajuda de um psicólogo e de um psiquiatra, em que descobriu que estava com depressão pós-luto da mãe. “Larguei tudo de mão e comecei a comer, mesmo porque a minha vontade era morrer. Sentia uma tristeza profunda. Minha mãe era minha razão de vida. Eu era mãe e filha. E éramos só nós duas. Eu morava com ela. Eu tenho pai, tios, mas não conto”, disse.

Mesmo com vergonha do próprio corpo após ter engordado 15 quilos, Fani começou a fazer um trabalho na terapia de aceitação em relação a situação e começou a brigar por isso. “Por que não tinha o direito de ser gorda? E ter o mesmo valor e ser bonita e me cuidar? E isso me ajudou muito. Comecei a gravar uns vídeos mostrando que não entrava na calça jeans. Brincava com a situação de estar gorda, comecei a fazer meu canal que falava sobre distúrbios alimentares, depressão, aceitação. E fiquei feliz fazendo isso”, revelou a modelo.

 

 

Fonte: IstoÉ

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.