BUSCAR
BUSCAR
Declaração
Em entrevista, atriz Lucélia Santos critica intervenção federal no Rio de Janeiro
'Intervenção foi para matar pobre. Foi um erro de avaliação no País, não deveria ter havido. Isso é uma cartada do presidente', declarou a atriz
Estadão
24/03/2018 | 17:29

A atriz Lucélia Santos, conhecida por seu papel na novela Escrava Isaura, fez duras críticas à intervenção federal que ocorre no Rio de Janeiro no programa Mariana Godoy Entrevista da última sexta-feira, 23.

“A intervenção foi para matar pobre. Foi um erro de avaliação no País, não deveria ter havido. Isso é uma cartada do presidente para dizer que ele está fazendo alguma coisa. Custa bilhões e não resolve o problema da segurança”, opinou, ressaltando que considera a atual situação “fora de controle”.

“É uma situação que sempre houve, mas foi se agravando por causa da total incompetência administrativa do Estado e da cidade. São sucessivos governos completamente detratores, incompetentes, irresponsáveis. A segurança se transformou num ‘nada’. Isso é um problema do País, mas no Rio de Janeiro é configurado de uma forma extremamente agressiva por causa dessa questão social que envolve a população negra que mora nas comunidades e que é confundida com bandido, por causa do tráfico de drogas”, explicou.

Lucélia também deu sua ‘solução’ para o problema: “Eu pessoalmente considero que a questão passaria por uma reforma política de base, estrutura, onde se mudassem as regras do jogo. A gente repete os mesmos vícios e os mesmos maus hábitos de corrupção desde a fundação da república. Isso está se agravando porque vem um problema cultural do Brasil, onde a corrupção se transformou numa forma de agir, como se fosse normal ser corrupto. Hoje é obrigatório ser corrupto! Isso é uma realidade dramática.”

A atriz ainda disse acreditar que o posicionamento político de um artista pode contribuir para afastá-lo das produções na TV: “O Brasil não é um país tão habituado a lidar com pessoas que se posicionam, talvez seja isso”.

Por outro lado, Lucélia disse que o fator não foi o principal para sua ausência nos folhetins: “Basicamente, não foi isso que atrapalhou minha carreira. As pessoas ficam cobrando que eu esteja presente nas novelas. O que atrapalhou foi a questão de as pessoas tratarem os atores também como escravos, porque não pagam os nossos direitos conexos, isso foi o que atrapalhou, não o fato de eu estar na rua ao lado do povo ou de eu andar de ônibus”.

Em outro momento, quando falavam sobre a primeira versão da novela Sinhá Moça, da qual Lucélia participou, e que é reprisada pelo canal Viva, a apresentadora perguntou se os artistas recebem algo quando seus antigos trabalhos voltam ao ar.

“Não recebemos nada. Não recebemos absolutamente nada. É bom que essas coisas comecem a ser faladas e ficar esclarecidas, porque todo mundo acha que eu não faço novela porque eu sou riquíssima e tenho uma preguiça de ir pra televisão gravar novela, vivo na banheira, nos meus sais e não preciso fazer nada. Não é verdade! Eu ralo pra caramba, preciso ganhar a vida. Não tenho aposentadoria e não recebo um único centavo por todo meu trabalho de quase 40 anos!”, desabafou a atriz.

Questionada por Mariana Godoy sobre sua relação com novos atores com quem tem trabalhado em oficinas de teatro, Lucélia respondeu, destacando a necessidade de estudos e dedicação para o mundo da atuação: “O que eu sinto nos atores é um total despreparo, porque essa profissão é uma profissão difícil, não é uma profissão de inspiração, somente. Você tem que ter inspiração, mas é uma profissão de transpiração”.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.