BUSCAR
BUSCAR
Ficção
Abertura da novela ‘Apocalipse’, da Record, tem Brasília em chamas
Novo folhetim de Vivian de Oliveira, autora de 'Os Dez Mandamentos', estreou nesta segunda-feira
Por Redação
22/11/2017 | 18:15

A nova novela bíblica da Record, Apocalipse, começou nesta segunda-feira cheia de efeitos especiais para mostrar um tsunami. Mas foi a abertura que chamou a atenção do público. O vídeo mostra catástrofes como furacões, apagões e enormes tempestades acometendo a terra – e bolas de fogo consumindo a Praça dos Três Poderes, em Brasília. Nas redes sociais, os espectadores comemoraram a cena (confira algumas reações ao final do texto).

O novo folhetim da emissora, o segundo de Vivian de Oliveira, de Os Dez Mandamentos, terá três fases: a primeira no final dos anos 1980, a segunda entre meados das décadas de 1990 até o começo dos anos 2000, e a terceira na atualidade, num futuro próximo. No capítulo desta segunda, foi ao ar o tsunami que matou os pais de Uri (Phelipe Gomes/Emilio Orciollo Neto), que será o pai do personagem principal, Benjamin (Igor Rickli). Ele será o herói da trama, que lutará contra o Anticristo, vivido por Sergio Marone, na terceira fase.

A novela começou ágil, com direito a uma (boa) cena de perseguição policial, mas apresentou problemas. A atuação estava bastante forçada e parte do público até comemorou nas redes sociais a morte dos personagens por causa da tragédia natural. Além disso, os efeitos especiais do tsunami deixaram a desejar. Para quem já fez uma abertura do Mar Vermelho em que o maior empecilho era somente a aparência de isopor das pedras, a Record podia ter feito um trabalho melhor. Tudo parecia incrivelmente artificial na sequência do tsunami.

 

 

Fonte: Veja

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.