BUSCAR
BUSCAR
Negócios
RN tem alta de 15% na abertura de novas empresas em 2019
Junta Comercial do Estado somou 7.751 novos negócios ao longo de 2019; Estado contabiliza mais de 104 mil empresas
Redação
23/01/2020 | 03:30

Um levantamento da Junta Comercial do Rio Grande do Norte (Jucern) revela que a abertura de novas empresas no período entre 2018 e 2019 teve um crescimento só comparável aos registrados entre 2009 e 2010 e entre 2011 e 2013, durante os governos Lula e Dilma Rousseff.

De 6.690 empresas abertas em 2018, o número passou para 7.751 no ano passado. O aumento foi de 15,8%, segundo a Jucern. Segundo o presidente do órgão, Carlos Augusto Maia, a expectativa é que, nos dois primeiros meses deste ano, o crescimento na abertura de novas empresas ultrapasse em 20% a alta no mesmo período do ano passado. “Se isso não for um sinal, mesmo que tênue, de recuperação econômica, não sei o que é”, diz ele.

Nos bons tempos do final do governo Lula e começo da administração de Dilma, os números de abertura de novas empresas eram eloquentes, de acordo com o mesmo levantamento da Junta Comercial: em 2009, mais de 8,4 mil empresas foram abertas no Estado, com um aumento no ano seguinte, 2010, para 9,5 mil novas empresas.

Desde então, porém, com exceção de algumas recuperações pontuais aqui e ali, as quedas foram contínuas, especialmente depois do impeachment da então presidente Dilma Rousseff, entre 2015 e 2016, período em que o número de novas empresas no RN caiu de 7.297 para 6.668 por ano.

“Esse crescimento em especial agora pode ser debitado na conta do presidente Bolsonaro, uma vez que, junto ao trabalho de uma década da RedeSim, foi neste governo que se aboliram por completo os custos para se fechar uma empresa no Brasil”, resume Carlos Augusto Maia.

A Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios, mais conhecida como Redesim, é um sistema integrado que permite a abertura, fechamento, alteração e legalização de empresas em todas as Juntas Comerciais do Brasil, simplificando procedimentos e reduzindo a burocracia ao mínimo necessário. “Hoje, por conta dessa evolução, é possível abrir uma nova empresa em 25 segundos no RN”, lembra Carlos Augusto.

Dentro de um princípio de presunção da boa-fé dos empreendedores, seguindo o que pede o formulário, diz Carlos Augusto, “ficou infinitamente mais fácil abrir uma empresa, sem aquela peregrinação por certidões que havia antigamente, gerando papelada e perda de tempo”.

Os dados da Jucern assinalam que o saldo positivo entre abertura e fechamento de empresas se manteve positiva nos dois semestres de 2018 e 2019, com uma significativa ampliação no segundo semestre, quando a diferença cresceu mais de 10 vezes. Passou de 96 para 1.285.

Ainda segundo o levantamento, o setor de serviços continua liderando os tipos de negócio mais abertos e menos fechados no RN. Em 2019, foram abertos no estado 3.785 estabelecimentos de serviço, contra 2.823 de comércio e 1.040 industriais.

Já o setor que mais fechou as portas foi o do comércio, com 2.438 baixas.

Em dezembro do ano passado, o RN tinha 104.296 empresas ativas: 8.189 empresas de pequeno porte, 70.275 micro empresas e 25.836 empresas normais. Além disso, há ainda o registro de 140.907 micro empreendedores individuais (MEIs).

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.