BUSCAR
BUSCAR
Presidente do Sinduscon diz que Ibama “agrediu empreendedorismo e leis” do RN
Laboratório autuado pelo Ibama já havia recebido licenciamento por parte do Idema, obedecendo recente lei aprovada na Assembleia Legislativa
Redação
03/02/2016 | 13:22

É grande a repercussão em torno de uma autuação do Ibama em um laboratório de carcinicultura em Touros. Nesta quarta-feira (03) foi a vez do presidente do Sindicato da Construção Civil do RN (Sinduscon), Arnaldo Gaspar Júnior, criticar o órgão federal.

“A atitude do Ibama foi simbólica e desrespeitosa. O governador aprovou uma lei que regulamenta a carcinicultura no Estado. É quase um desagravo ao governador, é um desafio a lei do Estado, é um desrespeito ao RN essa ação do Ibama”, disse o empresário em entrevista a 94 FM.

Arnaldo disse que ficou “perplexo” com o ato do órgão e revelou esperar uma resposta a altura do governador Robinson Faria. “Gostaria de convocar também para esse debate a senadora Fátima Bezerra, que recentemente estava nos jornais, no direito dela, defendendo Lula e dona Marisa. Nós, produtores, cobramos da senhora a mesma defesa a favor da classe produtora do RN, porque isso que o Ibama fez no RN ao nosso governador é, no mínimo, extremamente grave e desrespeitoso”, completou.

O presidente do Sinduscon disse que se colocava ao lado das demais entidades representantes de classe e do governador Robinson Faria. “Vamos à luta. O Sinduscon está nessa luta contra essa agressão feita ao empreendedorismo e as leis estaduais”.

O laboratório autuado pelo Ibama já havia recebido licenciamento por parte do Idema, obedecendo recente lei aprovada na Assembleia Legislativa que regulamenta a carcinicultura no RN.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.