BUSCAR
BUSCAR
Fake news
Twitter atende STF e retém 16 contas de perfis bolsonaristas
Em maio, o ministro Alexandre de Moraes determinou o bloqueio das contas nas redes sociais 'para a interrupção dos discursos com conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática'
CNN Brasil
24/07/2020 | 16:51

O Twitter reteve, na tarde desta sexta-feira (24), 16 perfis bolsonaristas na rede social atendendo à decisão do ministro Alexandre de Moraes no inquérito que apura notícias falsas e ameaças a ministros do STF.

Entre as contas suspensas, estão a da ativista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, do ex-deputado Roberto Jefferson, dos blogueiros Allan dos Santos e Bernardo Küster, e dos empresários Luciano Hang e Edgard Corona e Otávio Fakhoury.

Em nota, o Twitter informou que “agiu estritamente em cumprimento a uma ordem legal proveniente de inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF)”. 

Em maio, o ministro Alexandre de Moraes determinou o bloqueio das contas nas redes sociais “para a interrupção dos discursos com conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática”.

Para justificar o bloqueio da conta de Roberto Jefferson, o ministro Alexandre de Moraes afirmou na decisão que o ex-deputado é “um dos responsáveis pelas postagens reiteradas em redes sociais de mensagens contendo graves ofensas a esta Corte e seus integrantes, com conteúdo de ódio e de subversão da ordem”.

Bolsonaristas se manifestam

Alvos da decisão do STF e outros partidários do presidente se manifestaram nas redes sociais sobre a decisão.

“Mais uma censura grave do Supremo. Em pleno terceiro milênio e uma ditadura desses juízes, eu fui censurado mais uma vez. Eu tenho 210 mil seguidores e 90 milhões de interações, estão calando a minha voz”, disse Roberto Jefferson, em entrevista à CNN.

O empresário Otávio Fakhoury também se manifestou. “Estamos na China. Fomos censurados como queriam. Um dos objetivos desse inquérito é censurar e intimidar pessoas ligadasà direita brasileira”, disse.

Reynaldo Bianchi Júnior negou as acusações de financiar fake news. “Em todo o processo, não existe NENHUMA prova contra mim. Essa decisão mostra o autoritarismo, ativismo judiciário e destruição da democracia, realizado por alguns ministros do STF.”, disse.  “A sociedade é completamente contra esses atos!”

Sara Giromini disse que seus advogados darão uma resposta mais elaborada sobre a decisão, que qualificou de censura. “Eu, Sara Winter, encaro isso realmente como uma censura a todos os apoiadores do presidente Bolsonaro”, disse. 

Edson Pires Salomão também acredita ser alvo de censura. “Hoje foi institucionalizado o crime de opinião”, afirmou.” Foi declarada a censura aos conservadores por meio de uma decisão do STF.”

Edgar Gomes Corona não vai se manifestar no momento.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.