BUSCAR
BUSCAR
Tecnologia
WhatsApp bloqueia 2 milhões de contas durante ‘batalha’; saiba detalhes
O aplicativo tem mais de 400 milhões de usuários na Índia, que é seu maior mercado
CNN
16/07/2021 | 18:02

WhatsApp bloqueou 2 milhões de contas de usuários indianos em um mês para evitar comportamento prejudicial, disse a empresa em seu primeiro relatório de conformidade publicado sob as novas regras de tecnologia da informação do país.

Com as novas regras, que entraram em vigor em maio, as empresas de mídia social têm de publicar um relatório de conformidade todos os meses, detalhando quantas reclamações receberam de usuários indianos e que medidas tomaram.

As empresas internacionais de tecnologia também precisam contratar executivos localmente, que podem ajudar a regular o conteúdo e tomar medidas rápidas em resposta a reclamações legais.

O Facebook (FB), dono do aplicativo de mensagens, disse que mais de 95% das 2 milhões de contas bloqueadas entre 15 de maio e 15 de junho foram banidas “devido ao uso não autorizado de mensagens em massa automatizada”.

“Esses números aumentaram significativamente desde 2019 porque nossos sistemas estão mais sofisticaods”, disse a empresa em um comunicado na quinta-feira. “Lembre-se de que banimos a grande maioria dessas contas de forma proativa, sem depender de denúncias de usuários.”

Em 2018, o serviço começou a restringir a capacidade dos usuários em todo o mundo de encaminhar mensagens depois que boatos virais em sua plataforma foram responsabilizados por uma onda de violência popular na Índia. A empresa bloqueia 8 milhões de contas globalmente por mês em média, diz um comunicado do Facebook.

O aplicativo tem mais de 400 milhões de usuários na Índia, que é seu maior mercado, e 2 bilhões de usuários em todo o mundo.

Embora o WhatsApp esteja cumprindo com alguns aspectos das novas regras, ele processou o governo indiano por causa de um dos requisitos. As autoridades indianas querem que as empresas rastreiem a “origem” das mensagens, se solicitadas.

O governo disse que tais solicitações seriam feitas apenas em relação a crimes graves, mas o WhatsApp teme que essa medida acabe efetivamente com qualquer garantia de privacidade do usuário, ao exigir que a plataforma acompanhe todas as mensagens.

“Exigir que aplicativos de mensagens ‘rastreiem’ os bate-papos equivale a nos pedir para manter uma impressão digital de cada mensagem enviada no WhatsApp, o que quebraria a criptografia de ponta a ponta e prejudicaria fundamentalmente o direito das pessoas à privacidade”, disse um porta-voz da empresa uma declaração à CNN Business quando o processo foi aberto em maio.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.