BUSCAR
BUSCAR
Investigação
Tráfico usa haxixe como moeda de troca e RN permanece no mapa do crime
Autoridades querem saber quem são os potenciais compradores da droga e suspeitam que alguns deles moram no Rio Grande do Norte
João Ricardo Correia
30/09/2021 | 07:58

A costa potiguar está há, pelo menos, vinte anos na rota internacional do tráfico de drogas. A apreensão de mais de 600 quilos de haxixe, no domingo 26, transportados no veleiro Lamia, de bandeira panamenha, além de ratificar a posição do Rio Grande do Norte no mapa do crime, aponta uma recente forma de negociação entre os traficantes: o uso da matéria-prima para seus negócios ilícitos como moeda.

As suspeitas que o haxixe apreendido seria trocado por cocaína são fortes e motivam investigações. Fontes deste informativo revelaram, com exclusividade, que nos últimos dois anos, estrangeiros trazem esse tipo de droga do Marrocos, até o Brasil. Antes, era mais comum a cocaína ser levada do território brasileiro até à Europa.

A Polícia Federal está empenhada em descobrir os detalhes acerca desse mercado, que pode ser posto em prática até em alto mar. E mais: descobrir os potenciais consumidores, sendo que alguns deles estariam sediados no estado potiguar.

A apreensão do Lamia, na madrugada, foi resultado de uma ação entre Polícia Federal e Marinha do Brasil. Na embarcação, 632,65 quilos de haxixe em poder de dois tripulantes italianos, que foram presos em flagrante e não tiveram suas identidades reveladas. O flagrante foi lavrado em Natal, segundo a mesma fonte, que terá sua identidade preservada, porque a cooperação com as forças policiais internacionais foi na capital do RN, caso contrário, teria sido em Pernambuco, onde a apreensão do veleiro aconteceu, distante cerca de 180 quilômetros do arquipélago de Fernando de Noronha.

A operação para a abordagem ao veleiro teve o emprego de um navio-patrulha da Marinha do Brasil. A interceptação à embarcação só aconteceu depois que a Polícia Federal recebeu autorização de autoridades do Panamá.

Nesta quarta-feira 29, à tarde, policiais federais periciaram o veleiro, com apoio de cães farejadores.

O que é

O haxixe é uma substância extraída das folhas da Cannabis sativa, planta herbácea usada para produzir maconha. Enquanto a maconha tem 4% de THC (tetrahidrocannabinol), o haxixe concentra até 14%. O haxixe se classifica em três tipos: a erva que se obtém das folhas, caules e sementes secas da planta; a resina que é feita do liquido que sai da planta e e o óleo, que é a parte mais forte.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.