BUSCAR
BUSCAR
Retomada da economia
RN terá 890 vagas temporárias no comércio para o Natal, aponta CNC
Levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo mostra que a abertura de vagas de emprego para o fim do ano será 19,7% menor que em 2019
Redação
24/10/2020 | 05:22

Pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aponta que a oferta de vagas temporárias para o Natal deve ser a menor em todo o Brasil, desde 2015. Segundo a entidade, as empresas do setor ainda sofrem com os efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus.

No Rio Grande do Norte, a projeção do CNC aponta para a abertura de apenas 890 vagas.

A CNC estima que sejam abertas 70 mil vagas de emprego temporárias no país, neste fim de ano, o que representa queda de 19,7%, em relação a 2019. Para o varejo, o Natal é a principal data comemorativa que impulsiona vendas.

Apesar da queda nas contratações, a Confederação Nacional do Comércio prevê que a movimentação financeira do comércio seja maior neste ano e chegue a R$ 37,5 bilhões, alta de 2,2%, na comparação com o mesmo período de 2019. O estudo aponta que o comércio eletrônico deve ajudar a impulsionar as vendas, ainda que não seja suficiente para aumentar a demanda por novos funcionários. O levantamento aponta que a queda na abertura de vagas temporárias será percebida em todos os estados.

A expectativa é de que São Paulo seja o local com mais oportunidades de trabalho neste fim de ano, onde se espera a abertura de 17.900 vagas. Em todos os estados, a maior parte das vagas será aberta em lojas de vestuário e calçados. Esse setor deverá abrir 30.700 vagas, neste fim de ano.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.