BUSCAR
BUSCAR
Relato
“Precisei mudar meu sotaque”, diz atriz natalense
Atriz natalense Isadora Gondim fala sobre o período em que buscou firmar a carreira em São Paulo e relata também a importância do cenário artístico potiguar
Nathallya Macedo
28/04/2020 | 06:00

A arte imita a vida ou a vida imita a arte? Tanto faz para Isadora Gondim, atriz natalense de apenas 22 anos que já é formada em teatro pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O que importa, para ela, é que as expressões artísticas transformam, levam empatia e boas energias para aqueles que as apreciam. A atriz, de certa forma, aprendeu a valorizar ainda mais a arte em uma jornada cheia de dificuldades entre Natal, sua cidade de origem, e São Paulo, considerada a capital das oportunidades e um dos maiores polos culturais do país.

Desde muito nova, Isadora nutriu o desejo pela atuação e buscou expressar essa paixão de todas as formas: fez balé, dança de rua, ginástica olímpica, começou a cantar… até que foi parar no teatro através de espetáculos religiosos. A jovem participou de várias peças, algumas propagandas, curtas-metragens e acabou se tornando um rosto conhecido no meio artístico local.

Assim que terminou a faculdade de teatro, Isadora partiu em uma busca por conhecimento e oportunidades em São Paulo. Durante um ano, fez especialização em atuação metódica. “É uma vertente que almeja a mais pura verdade no palco e na tela, de forma que consiga convencer e tocar o telespectador. É a partir desse ponto que a gente consegue transformar as pessoas e isso, para mim, é uma das coisas mais incríveis”, contou.

Mas nem tudo são flores na cidade grande. “Fui bastante assediada, passei alguns ‘perrengues’. As pessoas mandavam mudar o meu sotaque, como se o nosso jeito de falar fosse errado. E eu precisei mudar, pelo menos para ter chance de passar nos testes”, revelou.

Com o plano de firmar a carreira em São Paulo frustrado e de volta a Natal, Isadora valoriza o autoconhecimento conquistado durante o ano em que morou sozinha. Agora, busca novos projetos nas redes sociais para conseguir se movimentar em tempos de pandemia. “Sigo postando monólogos, poesias encenadas. Não consigo ficar parada, a atuação faz parte de mim”.

Arte em Natal

Sobre o cenário artístico local, Isadora tece algumas críticas. Para ela, não há valorização suficiente entre os próprios potiguares, além do poder público. “Nosso cenário é muito lento. Temos um teatro municipal, o Alberto Maranhão, que está fechado desde 2015. Não existe essa urgência aqui na cidade, não se compreende o quanto a arte é necessária”. E continuou: “Temos vontade de sair de Natal porque a gente sente que aqui ninguém valoriza”.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.