BUSCAR
BUSCAR
Estupro
Polícia confirma provas para prender Cristiano Ronaldo por estupro: “Crime abominável”
Segundo a imprensa inglesa, as autoridades de Las Vegas teriam assinado um mandado de prisão para CR7
Agência O Globo
15/02/2022 | 17:25

A polícia que investiga o jogador Cristiano Ronaldo por um suposto estupro acreditava ter provas suficientes para prender e acusar a estrela do futebol mas a detenção foi barrada pelo procurador distrital.

Segundo documentos obtidos pelo The Sun, as autoridades de Las Vegas teriam assinado um mandado de prisão para CR7, mas o procurador distrital do condado de Clark, Steve Wolfson, travou o pedido. Ainda de acordo com o tabloide, Wolfson era o único com autoridade para tomar esta decisão mas recusou sem apresentar “nenhuma explicação”. As alegações foram feitas pelo advogado de Mayorga, Leslie Mark Stovall, no Tribunal Distrital dos EUA, no dia 21 de setembro do ano passado, no entanto, somente agora a informação veio a público.

Kathryn Mayorga alega ter sido violada por Cristiano Ronaldo em 2009, num quarto de hotel em Las Vegas, algo que o jogador nega totalmente, afirmando que a relação sexual que manteve com a antiga modelo foi consensual.

O processo criminal movido contra Cristiano Ronaldo já tinha sido arquivado. O caso, porém, não chegou a ser julgado, já que ambas as partes chegaram a um acordo extrajudicial de pouco mais de 300 mil euros (R$ 1,9 milhão na cotação atual). Porém, em 2018, Mayorga denunciou novamente o jogador nos Estados Unidos, garantindo que ela estava “mentalmente incapacitada” ao aceitar o acordo e que também o fez sob coação.

Ronaldo jamais admitiu ter cometido o estupro. “Eu nego veementemente as acusações feitas contra mim”, disse ele em outubro de 2018 . “O estupro é um crime abominável que vai contra tudo o que eu sou e acredito.”

Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.