BUSCAR
BUSCAR
Tecnologia
Pix: CPF é considerada chave mais segura do que e-mail e número de telefone
Para Fabio Assolini, especialista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil, lembrou que as chaves devem ser usadas para o recebimento de dinheiro, mas os golpistas atualmente tentam roubar dados pessoais
CNN Brasil
17/10/2020 | 12:22

O Banco Central está atento para fraudes durante o cadastramento de chaves no Pix , novo sistema de pagamento instantâneo que entra em vigor a partir de 16 de novembro. Até sexta-feira 16, quase 40 milhões de chaves já foram sido cadastradas pelos brasileiros.

Para Fabio Assolini, especialista sênior de segurança da Kaspersky no Brasil, o CPF é o dado mais seguro para ser usado no cadastramento do Pix, que também aceita e-mail ou número de telefone.

“O dado mais seguro é o CPF porque ele não vai mudar, por isso é considerado uma chave mais valiosa. E-mails e celular você pode perder o controle no caso de um ataque cibernético”, disse em entrevista à CNN neste sábado 17.

Assolini lembrou que as chaves devem ser usadas para o recebimento de dinheiro, mas os golpistas atualmente tentam roubar dados pessoais e bancários para a aplicação de fraudes futuras, quando o sistema já estiver funcionando.

“As chaves problemáticas são o e-mail e o número de telefone porque sabemos que existem golpes aos quais os fraudadores podem desativar o número do celular e ativá-lo em outro chip e isso é preocupante”, ressaltou.

Para evitar fraudes, Assolini recomenda o cadastramento de chaves Pix mesmo que não haja interesse imediato em usar o serviço.

“Do ponto de vista de segurança, estamos orientando para fazer o cadastro das chaves. Primeiro, para descobrir se alguma instituição financeira fez o cadastro sem sua aprovação e, segundo, para impedir que os fraudadores possam cadastrar a chave sem seu conhecimento”.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.