BUSCAR
BUSCAR
História
Pesquisa revela qual foi a última de refeição de homem morto há 2.400 anos
O Homem de Tollund foi encontrado em 1950, na Dinamarca e uma pesquisa revelou o que ele comeu antes de ser enforcado
R7
09/08/2021 | 20:39

Desde que foi encontrado, em 1950, na Dinamarca, o Homem de Tollund deixa muita gente intrigada. Não apenas por estar muito bem preservado para quem morreu por volta do século 4 a. C., mas também por essa expressão serena no rosto, de quem estava sonhando com algo agradável.

Bom, mas as investigações revelaram que o fim da vida de dele não foi nada tranquila. Ele foi enforcado, provavelmente como parte de rituais de sacrifício, e jogado em um pãntano, o que foi o responsável por mantê-lo quase intacto.

Uma nova análise publicada no periódico Antiquy, da Universidade de Cambridge, revelou mais um detalhe do sujeito: o estômago dele ainda contém parte da refeição que comeu antes da morte.

De acordo com os pesquisadores, o Homem de Tollund provavelmente comeu a última refeição de 12h a 24h antes do enforcamento. Era uma refeição típica da chamada Idade do Ferro da região, uma mistura de mingau e peixe, cheio de sementes, como de persicária e cevada.

O estômago ainda revelou que ele estava doente, com o sistema digestivo cheio de parasitas invasores.

“Uma vez que o conhecimento dos macrofósseis de plantas e os métodos para analisar o conteúdo do intestino melhoraram muito desde 1950, decidimos reinvestigar o sistema digestivo do Homem Tollund”, afirmou a líder do estudo Nina Nielsen, do do Museu Silkeborg, em comunicado à imprensa.

A análise ocorreu de 2019 a 2020 e faz parte de um esforço científico de detalhar a alimentação do povo na época, a cultura social de onde o Homem de Tollund habitava, bem como uma possível ritualização de sacrifícios humanos na Europa.

As novas técnicas descobriram, por exemplo, que o mingau foi cozido em uma panela de barro, o que pode revelar bastante sobre como viviam os povos da região, na época.

O Homem de Tollund foi encontrado em 1950, por acidente. Por causa de técnicas limitadas de preservação, apenas a cabeça dele foi conservada, o restante do corpo se deteriorou, mas uma réplica de corpo inteiro está exposta no Museu de Silkeborg.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.