BUSCAR
BUSCAR
'Fora do padrão'
MPT reabre inquérito contra TV Globo após demissão de repórter por estar acima do peso: “estava fora do padrão”
Inquérito foi reaberto após nova denúncia de demissão por discriminação estética sofrida pela jornalista Marcela Mesquita
Em Off | IG
11/05/2021 | 19:22

Após matéria publicada pelo UOL em que a jornalista Marcela Mesquita conta que foi demitida por não atender os padrões estéticos da TV Vanguarda, afiliada da TV Globo, o MPT (Ministério Público do Trabalho) decidiu que um inquérito que investiga problemas profissionais motivados por razões estéticas da emissora seria reaberto nesta terça-feira (11).

O inquérito foi aberto após a também jornalista Michelle Sampaio dizer ter sido demitida, em março de 2019, por não atender ao objetivo exigido pela empresa: “Fui informada pela diretora de jornalismo que a emissora optou pelo meu desligamento por eu não ter atingido o objetivo, que era emagrecer”, contou.

Micheli Diniz, outra profissional da emissora, disse, à época da demissão da colega, que sofreu a mesma situação quando trabalhou na afiliada da TV Globo entre os anos de 1998 e 2003: “O caso da jornalista Michelle Sampaio não é um fato isolado. Digo isto porque vivi há 15 anos a mesma situação. Na mesma emissora, com as mesmas pessoas”.

Com o inquérito aberto, a TV Vanguarda aceitou assinar junto ao MPT um Termo de Ajuste de Conduta (TAC). Com o documento, a empresa se comprometeu a “abster-se de prática discriminatória em razão do padrão estético de seus empregados principalmente relacionado ao peso corporal, bem como abster-se de estabelecer referido padrão através de exigências invasivas à privacidade e liberdade de seus empregados”.

Essa semana a jornalista Marcela Mesquita, que trabalhou durante 12 anos na emissora, deu uma entrevista para o UOL e disse que foi mantida na “geladeira” durante quase dois anos devido ao peso: “Na época, fui informada pela chefe de redação que a direção tinha decidido me afastar porque eu estava ‘fora do padrão’, ‘acima do peso’. Foram esses os termos que usaram”, disse na entrevista.

Segundo a coluna de Maurício Stycer, para o UOL, sem a comprovação de descumprimento do TAC até o dia 03 de março desse ano, o inquérito foi arquivado, no entanto, após a matéria dada pela UOL essa semana sobre a demissão de Marcela Mesquita, o caso foi reaberto.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.