BUSCAR
BUSCAR
Surfe
Medina acerta manobra incrível, vence Filipinho e é tri mundial
Com a vitória de hoje, o Brasil chega ao quinto título nas últimas sete decisões na Liga Mundial de Surfe. Ítalo Ferreira caiu nas semis
R7
14/09/2021 | 20:32

O Brasil é mais uma vez campeão mundial de surfe. Gabriel Medina acertou manobra incrível nos últimos minutos e bateu o compatriota Filipe Toledo na grande final da Liga Mundial de Surfe (WSL, na sigla em inglês), em Trestle, na Califórnia. Esse é o terceiro título mundial de Medina na carreira. O brasileiro venceu em 2014, a primeira conquista brasileira da história, e levou o bi em 2018.

“Estou muito feliz. Alcancei o meu maior objetivo no surfe”, disse Medina, em entrevista para a transmissão oficial. “Não é todo dia que você realiza um sonho. É um dia especial para mim, nunca desisti. É trabalhar forte, não tem outro jeito. Ter paciência e deixar o surfe falar. Esse dia vai ficar para sempre na minha vida”.

Além das conquistas pessoais, com final de hoje, o Brasil deu mais um passo rumo a hegemonia no surfe masculino. Nas últimas sete edições do Circuito Mundial, os brasileiros conquistaram cinco títulos, o último nesta terça-feira 14.

Nas duas baterias, o tricampeão se impôs logo no início, abrindo vantagem confortável na somatória de notas e colocando a pressão em Filipinho. Na primeira, Medina venceu com somatória de 16.30, contra 15.33 do adversário.

Na segunda, Gabriel Medina garantiu a maior nota da final (9.03) com uma manobra incrível e não deu chances para o compatriota. Filipe Toledo até diminuiu a distância, mas a última bateria terminou com somatória de 17.53 para Medina, contra 16.36 de Filipinho.

Número 1 do ranking, Gabriel Medina já estava garantido na final. Filipe Toledo se classificou para decisão após vencer Ítalo Ferreira, medalha de ouro nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, em semifinal muito apertada.

Kelly Slater (EUA) – 11 títulos
Mark Richards (AUS) – 4
Tom Curren (EUA) – 3
Andy Irons (EUA) – 3
Mick Flanning (AUS) – 3
Gabriel Medina – 3

Formato inédito

A final da competição teve um novo formato. Gabriel Medina e Carissa Moore, os primeiros colocados no ranking, já estavam garantidos na final, que foi disputada em uma série de três baterias. Tatiana Weston-Webb e Filipe Toledo entraram nas chaves de acordo com os pontos obtidos nas classificações.

Filipinho entrou na terceira chave e venceu Conner Coffin, dos Estados Unidos, e o compatriota Ítalo Ferreira, número 2 do ranking e campeão olímpico. Já Tatiana entrou direto na semifinal e Sally Fitzgibbons, da Austrália.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.