BUSCAR
BUSCAR
Religião
Igreja Ortodoxa russa diz que quem recusa vacinação contra Covid comete pecado pelo qual pagará por toda a vida
País enfrenta terceira onda da Covid-19, com recordes de contágios e mortes; vacinados com as duas doses são apenas 12,2% da população
O Globo
05/07/2021 | 13:37

A Igreja Ortodoxa russa advertiu as pessoas que se recusam a serem vacinadas contra a Covid-19, chamando-as de pecadoras que teriam que se arrepender pelo resto de suas vidas. A advertência foi feita quando a Rússia registra uma nova onda da pandemia e recordes de casos emortes, enquanto a vacinação avança lentamente, com apenas 17,3% dos habitantes do país tendo tomado a primeira dose, e apenas 12,2% recebido as duas doses.

A igreja pediu que todos os seus fiéis se vacinem. O pedido ocorre em meio a um registro de 24.353 novos casos de coronavírus registrados nesta segunda-feira, incluindo 6.557 em Moscou, o que levou o total de infecções desde o início da pandemia ao patamar de 5,6 milhões. A média móvel de casos é de 22.389, a maior desde 21 de janeiro.

A força-tarefa montada pelo governo para combater o vírus afirmou que 654 pessoas morreram nas últimas 24 horas de Covid-19 e a média móvel de óbitos está em 652, os maiores números desde o início da pandemia. O número total de mortes no país ligadas à doença é de 138.579.

Trabalhador rodoviário recebe a vacina Sputnik V em um centro de vacinação no shopping Depo em Moscou, Rússia Foto: SHAMIL ZHUMATOV / REUTERS
Trabalhador rodoviário recebe a vacina Sputnik V em um centro de vacinação no shopping Depo em Moscou, Rússia Foto: SHAMIL ZHUMATOV / REUTERS
Torcedor da russo usa uma máscara sobre o nariz na fanzone, em Moscou, durante a partida de futebol da Eurocopa entre a seleção e Bélgica. Moscou fechou sua fanzone e proibiu reuniões de mais de mil pessoas por causa de um aumento nos casos da Covid-19 Foto: DIMITAR DILKOFF / AFP
Torcedor da russo usa uma máscara sobre o nariz na fanzone, em Moscou, durante a partida de futebol da Eurocopa entre a seleção e Bélgica. Moscou fechou sua fanzone e proibiu reuniões de mais de mil pessoas por causa de um aumento nos casos da Covid-19 Foto: DIMITAR DILKOFF / AFP
Homem espera receber injeção com a vacina Sputnik V contra a COVID-19 em um centro de vacinação no shopping Depo em Moscou Foto: SHAMIL ZHUMATOV / REUTERS
Homem espera receber injeção com a vacina Sputnik V contra a COVID-19 em um centro de vacinação no shopping Depo em Moscou Foto: SHAMIL ZHUMATOV / REUTERS
Militar do Ministério Russo de Defesa Civil, Emergências e Eliminação de Consequências de Desastres Naturais desinfeta a estação ferroviária Belorussky de Moscou Foto: NATALIA KOLESNIKOVA / AFP
Militar do Ministério Russo de Defesa Civil, Emergências e Eliminação de Consequências de Desastres Naturais desinfeta a estação ferroviária Belorussky de Moscou Foto: NATALIA KOLESNIKOVA / AFP
Mulher usando máscara facial caminha em uma faixa de pedestres em Moscou, quando o prefeito da capital russa, Sergei Sobyanin, anunciou uma semana
Mulher usando máscara facial caminha em uma faixa de pedestres em Moscou, quando o prefeito da capital russa, Sergei Sobyanin, anunciou uma semana “sem trabalho”, com trabalhadores não essenciais sendo aconselhados a ficar em casa para tentar frear escalada de casos Foto: DIMITAR DILKOFF / AFP
Trabalhador médico cuida de um paciente em um hospital temporário no Palácio de Gelo Krylatskoye, onde pacientes que sofrem da COVID-19 são tratados, em Moscou Foto: MOSCOW NEWS AGENCY / via REUTERS
Trabalhador médico cuida de um paciente em um hospital temporário no Palácio de Gelo Krylatskoye, onde pacientes que sofrem da COVID-19 são tratados, em Moscou Foto: MOSCOW NEWS AGENCY / via REUTERS
Trabalhador pulveriza desinfetante na Estação Ferroviária de Rizhsky, uma das medidas para conter a propagação do coronavírus, em Moscou Foto: RUSSIAN EMERGENCIES MINISTRY / via REUTERS
Trabalhador pulveriza desinfetante na Estação Ferroviária de Rizhsky, uma das medidas para conter a propagação do coronavírus, em Moscou Foto: RUSSIAN EMERGENCIES MINISTRY / via REUTERS
Um funcionário do aeroporto arruma em um caminhão caixas com algumas das 100.000 doses da vacina russa Sputnik V contra o COVID-19 que chegou ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar em La Guaira, Venezuela, um dos destinos da vacina russa, assim como Guatemala e Maranhão, no Brasil Foto: FEDERICO PARRA / AFP
Um funcionário do aeroporto arruma em um caminhão caixas com algumas das 100.000 doses da vacina russa Sputnik V contra o COVID-19 que chegou ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar em La Guaira, Venezuela, um dos destinos da vacina russa, assim como Guatemala e Maranhão, no Brasil Foto: FEDERICO PARRA / AFP

Falando na TV estatal, o líder do Departamento do Patriarcado de Moscou para assuntos externos, o metropolita (arcebispo) Hilarion, disse que aqueles que se recusam a se vacinar estão cometendo “um pecado pelo qual terão que se penitenciar ao longo da vida”.

— Eu vejo situações todos os dias em que as pessoas visitam um padre com o objetivo de confessarem que se recusaram a se vacinar ou a vacinarem parentes próximos, o que causou a morte de alguém — ele disse. — O pecado é pensar em si mesmo e não em outra pessoa — completou.

Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.