BUSCAR
BUSCAR
Economia
FIERN participa do Diálogo da CNI com os presidenciáveis
Evento debateu a Agenda da Indústria, evidenciando os planos e os projetos dos pré-concorrerentes ao Palácio do Planalto
Redação
30/06/2022 | 10:20

O presidente da FIERN, Amaro Sales, destacou que a Confederação Nacional da Indústria (CNI) contribuiu para a qualidade do debate democrático no país, ao promover, nesta quarta-feira (29), em Brasília, o “Diálogo com os Pré-candidatos à Presidência da República”. Amaro Sales, que é primeiro secretário da CNI, acompanhou o evento no local que ficou reservado à diretoria da Confederação, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB). Ele destacou a importância desse encontro para o setor industrial conhecer os planos e os projetos de quem se apresenta aos eleitores para concorrer ao Palácio do Planalto.

“É muito importante escutar os pré-candidatos com suas alternativas e propostas para o Brasil. A CNI está dando uma grande contribuição, tanto com a realização deste evento, quanto com a construção e entrega de uma agenda positiva, visando a melhoria do ambiente de negócios para a indústria nacional”, afirmou Amaro Sales.

Além do presidente da FIERN, uma comitiva do Rio Grande do Norte, formada por outros industriais, presidentes de sindicatos da indústria e diretores da FIERN também acompanhou o “Diálogo com os Pré-Candidatos a Presidente”.
O encontro foi aberto pelo presidente da CNI, Robson Andrade, por volta das 9h30, no CICB. Ele destacou que a pandemia da Covid-19 e a guerra na Ucrânia acentuaram as adversidades que o setor produtivo brasileiro enfrenta. “Agora, é o momento de voltar a atenção para as soluções que o Brasil tanto precisa para construir um futuro mais próspero, ambientalmente equilibrado e socialmente justo”, apontou.

A urgência da reforma tributária foi um dos pontos reconhecidos pelos pré-candidatos nos pronunciamentos, durante o encontro promovido pela CNI. A pré-candidata Simone Tebet (MDB) garantiu atuar para uma mudança do sistema tributário sobre o consumo seja aprovada pelo Congresso Nacional, nos seis primeiros meses de governo, se for eleita. A pré-candidata do MDB também reconheceu a relevância do setor produtivo para a retomada do crescimento brasileiro e destacou a importância da consolidação de uma política de desenvolvimento industrial, coordenada pelo governo federal com metas claras e alinhada às melhores práticas internacionais e à economia de baixo carbono.

O pré-candidato Ciro Gomes, que participou do encontro por videoconferência, lembrou que a necessidade de mudança no sistema tributário é reconhecida por diversos setores, mas há contradições que impedem a aprovação e até agora não foram enfrentadas. “O empresário formal paga taxas cheias [nos tributos cobrados], mas de outro lado 50% da economia está na informalidade e isso se deve a um estado corrupto, que não consegue resolver o conflito distributivo”, disse.

Ele garantiu que, se eleito, recriaria o Ministério da Indústria e Comércio. Para Ciro Gomes, é preciso também uma política industrial de comércio exterior “sofisticada”, deixando de lado o protecionismo industrial, embora aponte a necessidade e as ações voltadas à retomada do crescimento da produção da indústria nacional. “Vou criar um aforamento ao redor do presidente da República para discutir, acompanhar, supervisionar, criticar, trocar e substituir prioridades do próprio Projeto Nacional de Desenvolvimento”, prometeu. A participação de Simone Tebet e Ciro Gomes foi na manhã desta quarta-feira.

Na parte da tarde, o presidente Jair Bolsonaro relatou as principais ações do governo para evitar uma maior crise social durante a pandemia, entre elas o auxílio-emergencial e medidas que ajudaram as empresas, como o Pronampe. “Os números do momento mostram que o Brasil foi bem. Estamos com recorde de pessoas com carteira assinada, passamos a ser a 10ª economia do mundo, o Brasil vai de vento em popa”, destacou.
Bolsonaro disse que pretende recriar o Ministério da Indústria e Comércio. Ele citou ainda que a ideia é “continuar a fazer aquilo que foi iniciado em 2019” e frisou que houve a maior abertura comercial dos últimos 30 anos. Ainda em sua fala, o presidente da República afirmou que a estratégia de ampliar a cobertura da tecnologia 5G potencializa a indústria, o comércio e o agronegócio.
O pré-candidato e ex-presidente Lula foi convidado, mas não confirmou presença no evento.

ENAI 2022

Nesta quinta-feira (30), dia seguinte ao “Diálogo com os Presidenciáveis”, Amaro Sales junto com a comitiva do RN, formada por industriais e diretores da FIERN, estarão no Encontro Nacional da Indústria (ENAI), também em Brasília. Trata-se do mais abrangente evento de mobilização do setor industrial, com a presença de representantes dos sindicatos e federações da indústria de todo país, ao reunir lideranças empresariais para alinhar e validar posicionamentos, com foco nas ações voltadas ao desenvolvimento.

A 13ª edição do ENAI tem como tema ”O desafio da década: construindo o Mapa Estratégico da Indústria 2023-2033” e contará com painéis de debate sobre as principais tendências que impactarão a Indústria nos próximos 10 anos.

O Mapa Estratégico da Indústria é um documento elaborado pela CNI com o apoio de representantes das federações estaduais e associações setoriais, que reúne diretrizes para ações ou políticas públicas, com o objetivo de tornar a indústria brasileira mais competitiva, inovadora e sustentável.

Após a última edição 100% online, o ENAI voltará a receber o público de forma presencial no Centro Internacional de Convenções do Brasil, Brasília. O espaço será organizado dentro das normas dos protocolos atualizados para prevenção e combate à Covid-19. l

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.