BUSCAR
BUSCAR
Opinião
Confira a coluna de Daniela Freire desta terça-feira 24

24/11/2020 | 06:21

Ocupação
A chamada Ocupação Emmanuel Bezerra, nome dado à invasão de 60 famílias, com apoio do Movimento de Luta por Moradia nas Vilas, Bairros e Favelas, do prédio da velha faculdade de direito da Ribeira, que pertence ao patrimônio da UFRN, tem tido a adesão de importantes nomes do PT no RN e gerado críticas, talvez injustas, contra o reitor Daniel Diniz, por conta da ordem de despejo emitida.

Defesa
A deputada federal Natália Bonavides e a vereadora eleita em Natal Brisa Bracchi, por exemplo, já anunciaram apoio à ocupação em suas redes sociais. “Quando morar é privilégio, ocupar é direito”, escreveu Natália. Ambas têm se colocado à disposição para dialogarem com a reitoria da UFRN e com representações do governo do Estado, da Prefeitura e da OAB.

Tombado e perigoso
É importante dizer que o prédio antigo, que já abrigou, no início do século XX, a Escola Augusto Severo, é tombado como patrimônio histórico da União e encontra-se em avançado estado de abandono, com rachaduras nas paredes, inclusive, podendo causar acidentes gravíssimos aos seus atuais ocupantes.

Restauração vem aí
Inclusive, segundo informações de gente da cúpula da universidade, a atual administração, depois de muitas tentativas, conseguiu os recursos necessários para a execução do projeto de recuperação do prédio em questão, o que está em fase de conclusão, esperando, a partir de então, obter os meios para as obras de engenharia e assim vê-lo definitivamente restaurado.

Obrigação
Outro ponto importante a ser destacado, de acordo com fontes da academia, é que diante da invasão, à gestão não restava outra alternativa que não fosse a de levar o fato ao conhecimento da Advocacia Geral da União (AGU), órgão que defende os interesses jurídicos da instituição, sob pena de ser vista como negligente, passando a responder pelas consequências do ato da ocupação, até por se tratar de um bem público integrante do patrimônio histórico.

Sem fundamento
Tem mais: A decisão de buscar a ordem judicial para a desocupação foi da AGU, através de sua procuradoria federal, e não da UFRN. Portanto, fica claro que algumas críticas vistas nas redes sociais dirigidas ao reitor fazem sentido.

Responsabilidade
Vale ressaltar: Com a ocupação para moradia, está implícita a destruição do patrimônio histórico sob a responsabilidade do administrador. Ficando quieto, Daniel Diniz estaria concordando com a destruição. Certamente se enquadraria na descrição de algum delito e ficaria submetido a uma denúncia criminal por parte do Ministério Público Federal, podendo responder a uma ação penal.

Campanha
A chefe da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado, jornalista Guia Dantas, comemorou no Twitter a veiculação, após oito meses, de uma campanha de prestação de contas do Governo do RN, assinada pela agência Dois A junto com o mago das lentes Giovanni Sérgio.

Mostrando
“A primeira campanha após oito meses sem uma comunicação de massa e sem que conseguíssemos dizer a cada rincão desse Estado o que a gestão da professora Fátima Bezerra tem feito, mesmo em meio a um estado colapsado em diversas frentes”, comentou a assessora, que se disse orgulhosa do conteúdo que está indo ao ar.

Prestando contas
Segundo Guia Dantas, até o governo ter a chance de se comunicar – impedido pela pandemia de alcance mundial – “o esgoto e o submundo da notícia prevaleceram”. Na opinião da secretária, agora é o momento de fazer o que a governadora sempre determinou: “Prestar contas, dar transparência aos atos do seu Governo e mostrar que estamos, sim, trabalhando duro e cuidando das pessoas”.

Racismo
Deu no El País Brasil que, para 90% dos brasileiros, existe racismo no País e 52,7% veem impulso racista no caso Carrefour, segundo Atlas Político. O levantamento aponta que a maioria da população reconhece o preconceito de raça no crime e aponta divisão ideológica profunda nas convicções sobre questões raciais no Brasil.

Sem cerveja
Falta cerveja nos supermercados brasileiros. É o que diz consultoria Neogrid publicada pela revista Isto É. “Com o verão se aproximando, nada melhor do que aquela cervejinha gelada. Só que a produção da bebida não está dando conta da demanda e pode faltar o produto nas festas de fim de ano”, alerta a revista.

Rápidas

Luiz Felipe Pondé: “A festa brega de Réveillon está aí para ajudar a aumentar a segunda onda. As pessoas falam do novo pico da Covid-19 agora como se falava da última moda na França”.

Covid-19: STF determina que Governo Federal volte a divulgar dados integralmente. Os ministros do Supremo decidiram que formato utilizado até junho deve ser adotado, em detrimento do modelo atual, que privilegia o número de recuperados.

José Simão: “O Brasil segundo o governo: Não existe racismo! Não existe pandemia! Não existe queimada na Amazônia! Não existiu ditadura militar! Só existe comunismo”.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.