BUSCAR
BUSCAR
Peculato
Casal de PMs é preso suspeito de furtar R$ 53 mil durante abordagem em SP
Oficiais realizaram vistoria nos armários e nos veículos dos policiais. Segundo a Corregedoria da Polícia Militar, dinheiro estava escondido no Renault Sandero branco de Ana Beatriz
UOL
23/08/2020 | 15:19

A Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo prendeu em flagrante os soldados Rafael Valentine Reis e Ana Beatriz Santos da Rosa Oliveira, do 22º Batalhão, suspeitos de furtar R$ 53.863 de uma pessoa durante uma abordagem policial na noite da última sexta-feira 21, na zona sul da capital paulista. As informações são do blog de Josmar Jozino, do UOL.

A vítima foi abordada pelos PMs às 21h15 na rua Elizabete Linley, no bairro de Americanópolis. Os soldados estavam em serviço e ocupavam a viatura 22305, da 3ª Companhia do 22º Batalhão.

Oficiais da Corregedoria da Polícia Militar foram avisados sobre o furto do dinheiro minutos depois da abordagem. Os tenentes Bonadio, Kolle e Santana revistaram a viatura utilizada pelo casal de soldados e nada encontraram.

Porém, na 3ª Companhia do 22º Batalhão, os oficiais realizaram uma vistoria nos armários e nos veículos dos policiais. Segundo a Corregedoria da Polícia Militar, o dinheiro estava escondido no Renault Sandero branco de Ana Beatriz.

A Corregedoria da PM registrou o APFD (Auto de Prisão em Flagrante Delito) 085/319/20. Rafael Valentine e Ana Beatriz vão responder a processo por peculato (quando um funcionário público se apropria ou desvia bens em razão de seu cargo).

Ambos foram transferidos para o Presídio Militar Romão Gomes, na Água Fria, zona norte da capital. O artigo 303 do Código Penal Militar prevê pena de quatro a 20 anos de prisão para esse tipo de crime. O UOL não conseguiu contato com os advogados dos dois policiais.

Procurada, a PM confirmou os dados apurados pela reportagem e informou que foi aberto inquérito para investigar o caso. Questionada sobre a identidade da vítima e por qual motivo os soldados ficaram com o dinheiro dela, o órgão não respondeu as indagações.

O 22º Batalhão da PM, no Jardim Marajoara, zona sul de São Paulo, é o mesmo que sofreu uma grande operação realizada pela Corregedoria da Polícia Militar e pelo Ministério Público Estadual em dezembro de 2018.

Na ocasião, 53 policiais militares foram presos acusados de ligação com traficantes do PCC (Primeiro Comando da Capital). Com eles foram apreendidos armas com numeração raspada, R$ 80 mil em espécie, além de drogas escondidas inclusive nos armários do batalhão.

Dos 53 PMs presos, 32 eram soldados, 13 cabos, sete sargentos e um subtenente. No ano passado, a Justiça havia condenado 42 policiais militares. As penas variavam de 5 anos a 83 anos de prisão.

Escutas telefônicas autorizadas pela Justiça apontaram que os PMs cobravam propina de traficantes do PCC para não coibir o tráfico de drogas na região patrulhada pelo 22º Batalhão.

O Ministério Público Estadual apurou que os pagamentos feitos aos policiais militares ocorriam semanalmente ou quinzenalmente e variavam de R$ 300 mil a R$ 500 mil.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.