BUSCAR
BUSCAR
Mercado
Aumento dos casos de Covid-19 na Europa e impasse fiscal nos EUA deixam Bolsas no vermelho na Ásia
Mercados europeus começaram a semana em queda, mas perdas diminuíram após a divulgação de dados sobre vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e AstraZeneca
Estadão
26/10/2020 | 08:39

As Bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta segunda-feira, 26, diante do avanço da propagação do coronavírus, principalmente na Europa e nos Estados Unidos, e do impasse nas negociações entre o governo americano e a oposição democrata por um novo acordo de estímulos fiscais. Na Europa, os mercados também começaram a semana no vermelho.

Em Tóquio, o índice acionário Nikkei teve baixa de 0,09%, pressionado por ações siderúrgicas e do setor financeiro. O chinês Xangai Composto recuou 0,82%, também prejudicado por papéis financeiros, atingindo o menor patamar desde o início de setembro. O sul-coreano Kospi teve queda de 0,72%, influenciado por ações de varejistas e do segmento farmacêutico.

Investidores mantêm a cautela em meio ao avanço da covid-19 na Europa e nos EUA, que vêm registrando novos recordes de infecções diárias. No domingo, 25, o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, disse em entrevista à CNN que o governo do presidente Donald Trump “não vai controlar a pandemia” em meio ao aumento de casos, e que o foco está em obter uma vacina. Na Ásia, preocupa também a situação do coronavírus na Coreia do Sul.

Outro fator que compromete o apetite por risco é o longo impasse nas conversas entre o governo dos EUA e os democratas em torno de um novo pacote fiscal para ajudar a combater os impactos da covid-19. É incerto se os dois lados conseguirão chegar a um acerto antes da eleição presidencial americana, marcada para 3 de novembro.

As exceções positivas na Ásia nesta segunda foram o índice chinês Shenzhen Composto, que subiu 0,52%, e o Taiex, de Taiwan, que teve ligeiro ganho de 0,08%. Em Hong Kong, a Bolsa local não operou devido a um feriado.

Na Oceania, o S&P/ASX 200 caiu 0,18% em Sydney.

Bolsas europeias

Às 6h55, o Stoxx-600, que representa 90% das ações europeias, recuava 0,62%. “Uma combinação da estabilidade nas taxas de mortalidade da covid-19, a preocupação com lockdowns nacionais e a expectativa de mais suporte governamental está mantendo os mercados um piso abaixo”, disse o chefe de pesquisa do London Capital Group (LCG), Jasper Lawler.

O ressurgimento de casos da covid-19 na Europa continua no topo das tensões dos investidores – e também da Organização Mundial da Saúde (OMS). A Espanha declarou um segundo estado de emergência nacional no domingo, impondo toque de recolher em todo o país. Na França, com mais de 1 milhão de infectados, prefeitos da região sudeste pediram às autoridades a construção de um hospital de campanha. A Itália também impôs novas medidas para conter o vírus.

Mesmo diante dessas preocupações, os mercados europeus diminuíram o ritmo de queda com a notícia de que a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford com a AstraZeneca provoca uma resposta imune similar em adultos mais velhos e nos mais novos, conforme um porta-voz da farmacêutica. Segundo relatou a agência de notícias Reuters, as reações adversas foram menores entre os idosos.

Também às 6h55, em Frankfurt, o DAX liderava o movimento de perdas, com queda de 2,19%. Em Londres, o índice FTSE-100, tinha queda de 0,21%; em Paris, o CAC-40 recuava 0,57% e o FTSE-MIB, de Milão, tinha baixa de 0,88%. Em Madri, o IBEX-35 apontava queda de 0,25% e o PSI-20, de Lisboa, de 0,92%.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.