BUSCAR
BUSCAR
Home office
Americanos estão transferindo o escritório para o quintal
Enquanto algumas pessoas optaram por ocupar um quarto ou o próprio porão (comum nas casas dos Estados Unidos), outras, estão montando o escritório no quintal
CNN Brasil
30/08/2020 | 08:57

Agora que o sistema de home office está se transformando numa situação semipermanente para muitos, a busca por um espaço adequado ao trabalho tem aumentado. Enquanto algumas pessoas optaram por ocupar um quarto ou o próprio porão (comum nas casas dos Estados Unidos), outras, estão montando o escritório no quintal.

O vice-presidente e chefe de desenvolvimento de negócios do LinkedIn, Scott Roberts, decidiu construir nos fundos de casa um galpão com design assinado, de 3 por 5 metros, para usar como escritório. Os funcionários do LinkedIn devem trabalhar em casa até o final do ano, se não por mais tempo, e ele sabia que precisaria de seu próprio espaço.

“Trabalhar em casa trouxe a sensação de ‘viver no trabalho’”, comentou.

O executivo disse que sua casa em San Francisco, onde vive com a família de cinco pessoas, tem bastante espaço. Mas, com todos trabalhando e estudando à distância, muitas vezes ao mesmo tempo, a família precisava de mais espaços com privacidade.

“É muito importante separar os espaços que usamos para isso. É preciso estar focado. Se a gente não consegue criar alguma separação entre a vida pessoal e o trabalho, isso fica muito mais difícil”.

A edícula foi a resposta. A unidade independente de Roberts foi feita pelo Studio Shed, uma empresa sediada em Boulder, Colorado, que vende imóveis pré-fabricados – uma igual a do executivo do LinkedIn custa a partir de US$ 16.250 (algo próximo de R$ 88.780).

“Acho que há um fator psicológico na separação entre trabalho e casa que você alcança enquanto está em trânsito, a caminho do escritório”, opinou Roberts. “Mas, e se isso depender apenas de uma caminhada no quintal? Com a edícula, posso trocar 30 minutos no trânsito por uma caminhada de 30 passos. Um trajeto mais curto, mas ainda assim um espaço separado”.

O vice-presidente do LinkedIn disse que conhece alguns colegas que construíram escritórios semelhantes no quintal.

Vendas em alta

Em março, quando o coronavírus parou grande parte do Estados Unidos, as vendas de edículas e cabanas para o quintal começaram a aumentar, como explicou Mike Koenig, presidente e cofundador da Studio Shed. A empresa notou um aumento na procura por home offices.

“Muitas pessoas já estavam trabalhando em casa nessa época, em que os estados da Califórnia e Washington já haviam fechado as portas”, disse Koenig. Depois disso, os pedidos começaram a chegar, principalmente do modelo Signature Series que varia de 19 a 73 metros quadrados, custando a partir de US$ 10.500 (cerca de R$ 57.300, na cotação desta sexta, 28).

A empresa vendeu cinco vezes mais unidades em maio, junho e julho do que em cada um desses meses no ano passado e está prestes a vender dez vezes mais agora, em agosto, do que vendeu há um ano.

Os estúdios podem ser personalizados online com uma ferramenta de design 3D ou enviados rapidamente como um kit pronto, que inclui detalhes opcionais do interior, parte elétrica e isolamento térmico. Normalmente, entre as escolhas de personalização, feitas online, até o dia da entrega, a empresa leva apenas algumas semanas.

Outra empresa do setor, Sheds Unlimited, sediada em Morgantown, Pensilvânia, e com escritórios da Carolina do Sul ao Maine, teve um aumento nas vendas tão grande que o tempo de entrega de um galpão agora subiu de 10 para 13 semanas, de acordo com Janelle Stoltzfus, administradora da companhia.

Embora a Sheds Unlimited seja especializada em galpões de armazenamento e garagens, a procura maior no momento é por espaços que possam ser usados como escritórios.“Muitas pessoas querem montar um home office e pedem para instalar prateleiras, por exemplo”, disse.

Novo jeito de trabalhar em casa

Erin Miller, editora de texto e designer de layout em Centennial, Colorado, trabalhava regularmente em casa antes da pandemia. Mas, quando seu marido também precisou de um espaço para isso – passando a compartilhar com ela o escritório – a situação ficou esquisita.

“Digamos apenas que nossos estilos não são 100% iguais”, comentou.

Antes da pandemia, eles haviam considerado construir um anexo à casa, incluindo espaço de escritório, mas as despesas e o longo prazo estimado para a reforma fez com que desistissem da ideia. Agora, com o casal trabalhando no mesmo espaço, eles decidiram que uma edícula no quintal atenderia às suas necessidades com mais urgência.

Miller encomendou uma cabana de 3 por 5 metros em meados de maio, concluída no início de julho. O novo imóvel não exigiu autorização do governo local, o que, segundo ela, tornou o processo ainda mais simples e rápido.

“Só precisamos pedir a instalação elétrica, mas isso foi bem tranquilo. Exigiram apenas duas inspeções”, afirmou.

O Studio Shed se dispõe a responder a perguntas de suporte técnico para donos que sabem usar uma serra elétrica e uma parafusadeira e preferem construir as unidades eles mesmos, mas indicam instaladores certificados para construir a estrutura.

Miller disse que os instaladores ajudaram a providenciar um empreiteiro para construir um alicerce, instalar as linhas elétricas e cabos de internet, determinar as opções de aquecimento e resfriamento e adicionar uma varanda frontal.

Ela ainda está terminando a decoração interna, mas tem espaço de sobra para uma escrivaninha, uma mesa adicional, impressora, arquivo e estante de livros, além de 7 metros quadrados de espaço livre.

“Isso provavelmente será ocupado por um sofá, cadeira e tapete, para que eu também possa usar o espaço fora do horário de trabalho para ler, relaxar ou receber amigos”.

A edícula deu a ela a oportunidade de personalizar seu espaço de trabalho, já que ela não mais o divide com o marido. Mas os filhos adolescentes não se distanciaram.

“Eles acham ótimo e regularmente oferecem sugestões de como eles e seus amigos poderiam se divertir no espaço”. Mas ela está apreciando isso como seu próprio retiro pessoal, especialmente porque está acostumada a trabalhar em casa.

“Meu trajeto para o trabalho é um pouco mais longo”, contou. “Saio pela porta dos fundos e atravesso a grama em vez de apenas descer um lance de escadas, mas o espaço é acolhedor.”

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.