BUSCAR
BUSCAR
Crime
A história de assassinatos e desaparecimentos de um casal obcecado pelo apocalipse
Um casal americano que tinha fortes crenças religiosas relacionadas ao chamado "Dia do Julgamento Final" é acusado de assassinar seus filhos e a ex-mulher do homem
BBC
28/05/2021 | 19:00

“Chegada do apocalipse”, desaparecimento de pessoas e morte são os elementos de uma longa e estranha investigação criminal que tem como protagonistas o casal americano Lori Vallow e Chad Daybell.

O casal enfrenta acusações de homicídio pelas mortes dos filhos de Vallow em casamentos anteriores: Joshua “JJ” Vallow, de 7 anos, e Tylee Ryan, de 17.

Os corpos do menino e da adolescente foram encontrados na casa de Daybell no ano passado.

O caso gerou grande atenção da imprensa devido aos laços do casal com crenças apocalípticas.

Chad Daybell é um autor que escreveu vários romances apocalípticos vagamente baseados nos ensinamentos religiosos mórmons.

Acredita-se que o casal tenha se conhecido em um movimento que promovia a preparação para um suposto fim do mundo.

Daybell também é acusado de assassinar sua ex-mulher, Tammy Daybell, que morreu repentinamente semanas antes de ele se casar com Vallow.

Ambos foram presos no ano passado e embora já tenham sido indiciados por esconderem provas, nesta semana foram anunciadas as primeiras acusações formais de homicídio contra eles.

O casal também enfrenta acusações de conspiração, roubo e fraude em seguros.

“Temos motivos para acreditar que os Daybells deliberada e conscientemente conspiraram para cometer o assassinato de três pessoas inocentes”, disse a promotora do condado de Fremont, Lindsey Blake.

O casal compareceu ao tribunal, onde foi informado das acusações contra eles. Mais audiências sobre o caso são esperadas em junho.

Quais são as acusações?
Quase um ano depois que os corpos do menino e da adolescente foram encontrados em uma propriedade de Daybell em Idaho, a justiça anunciou as novas acusações contra o casal.

Os promotores dizem que os dois menores foram vistos pela última vez em datas diferentes em setembro de 2019.

Seus avós denunciaram o desaparecimento em novembro, quando a polícia descobriu que não eram vistos havia semanas.

As autoridades disseram anteriormente que sua mãe havia dado respostas falsas às perguntas dos investigadores e mentido abertamente sobre seu paradeiro antes de supostamente fugir do Estado.

Lori Vallow, que também atende pelo nome de Lori Daybell, foi finalmente presa no Havaí em fevereiro de 2020 por negligência com crianças e desacato, após não cumprir o prazo de janeiro para entregar seus filhos às autoridades.

Daybell foi preso em Idaho depois que os corpos dos menores foram encontrados em uma de suas propriedades.

O corpo de Tylee foi desmembrado e queimado, e o de Joshua foi embrulhado em plástico preto e fita adesiva, de acordo com a investigação.

Tylee é filha do terceiro casamento de Lori Vallow. Ela e seu quarto marido, Charles Vallow, adotaram Joshua.

As acusações de assassinato foram anunciadas coincidentemente no dia em que Joshua faria 9 anos.

Ao anunciar as acusações na terça-feira, os investigadores disseram que os policiais passaram “milhares de horas” “buscando a verdade sobre essas vítimas inocentes” e culparam a pandemia pelo atraso nos indiciamentos.

“Quero assegurar a todos que, apesar dos atrasos, temos trabalhado diligentemente para fazer justiça às vítimas neste caso, para garantir que tenhamos as evidências necessárias para provar os fatos em um tribunal de justiça”, disse a promotora Lindsey Blake.

O que se sabe sobre o casal?
O caso sempre foi cercado de especulações devido às crenças do casal e ligações a uma série de mortes suspeitas ou inexplicáveis.

Amigos dizem que Lori Vallow se tornou “super fã” dos livros de Daybell e que o casal apareceu em um podcast em dezembro de 2018, segundo relatos da imprensa americana.

Ela se mudou do Arizona para uma cidade em Idaho, onde o escritor morava, no final de agosto de 2019 depois que seu então marido, Charles Vallow, foi morto a tiros por seu irmão, Alex Cox, que disse que a morte foi em legítima defesa.

O próprio Cox também morreu em dezembro de 2019, aos 51 anos, de causas naturais, conforme avaliação de um legista.

Antes de ser morto, Charles Vallow havia pedido o divórcio e expressado preocupação com as crenças de sua esposa, alegando que ela havia se tornado “apaixonada, às vezes obsessivamente, por experiências sobre morte e visões espirituais”.

Lori se casou com Chad Daybell em outubro, apenas duas semanas após a morte da esposa dele, Tammy.

Segundo seu obituário, Tammy Daybell morreu de causas naturais, mas a polícia posteriormente ordenou que seu corpo fosse exumado.

A autópsia terminou em fevereiro deste ano. Sua família agradeceu à polícia em um comunicado divulgado na terça-feira.

A causa da morte das vítimas não foi revelada, mas o processo criminal afirma que o casal teria justificado seus crimes usando suas crenças religiosas. Mas o casal vem negando todas as acusações.

Os advogados de Vallow e Daybell não responderam a questionamentos após a audiência de quarta-feira, onde foram informados sobre as acusações de assassinato.

Se condenados, Vallow e Daybell podem pegar prisão perpétua ou pena de morte. Os promotores de Idaho têm 60 dias para decidir se buscam a pena de morte, informou a rede NBC.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.