Policiais são condenados por morte de ex-prefeito de Grossos
Eles foram condenados por duplo homicídio qualificado e lesão corporal grave
Por Redação - Publicado em 01/10/2015 às 06:31

Os cinco policiais acusados pela morte do ex-prefeito de Grossos, João Dehon da Costa, e do seu motorista, Márcio Sander Martins, durante uma operação policial ocorrida no dia 23 de junho de 2005, foram condenados nesta quinta-feira (1), no 1º Tribunal do Júri da comarca de Natal, presidido pela juíza Eliana Marinho.

João Maria Xavier Gonçalves, Newton Brasil de Araújo Júnior, Railson Sérgio Dantas da Silva, foram condenados a 17 anos e seis meses de prisão. Já João Feitosa Neto José Wellington de Souza, a 17 anos e quatro meses. A pena também impõe a perda da função na Polícia Civil. Eles foram considerados culpados por dois homicídios qualificados e uma lesão grave. Todos irão responder no regime fechado. Ainda cabe recurso.

Um sexto policial já havia sido inocentado porque ficou confirmado que sua arma não disparou durante a ação.

O crime

O caso aconteceu em 2005. João Dehon, que na época tinha 37 anos, voltava de Natal durante à noite com o motorista e dois funcionários da Prefeitura de Grossos, quando a picape em que estavam foi atingida pelos tiros de uma equipe da Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (Deprov), na BR-304, zona urbana do município de Santa Maria. O carro teria sido confundido com o veículo de assaltantes.

Além da morte do então prefeito e do motorista, o tiroteio terminou com um funcionário ferido gravemente.