Pai que matou o filho enviou mensagem para ex-mulher antes do crime
Polícia constatou que Adriano Benvindo matou o filho por não aceitar a separação da ex-mulher e ter perdido a guarda da criança
Por Redação - Publicado em 01/10/2015 às 06:01

Uma mensagem enviada para o celular da ex-mulher de Adriano Benvindo Neri – que assassinou o próprio filho a tiros e depois se matou – reforça a tese da Polícia Civil de que o crime aconteceu por Adriano não aceitar o processo de separação e de ter perdido a guarda do filho.

“Não me programei para viver sem vc e Felipe! Por isso que estou disposto a mover céus e terras por vcs. Preciso de vc! Tá muito difícil!”. Em outra mensagem, Adriano afirmou que iria deixar Felipe Furtado Neri na casa da ex-esposa no final da noite da quarta-feira (30), o que não aconteceu.

De acordo com a polícia, Adriano Benvindo matou o próprio filho, de três anos, com dois tiros, que atingiram o queixo de Felipe Furtado. Depois, Adriano se matou com mais quatro disparos. Os corpos foram encontrados na manhã dessa quarta, em um condomínio no bairro do Tirol, em Natal.

As primeiras análises do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) mostram que a criança Felipe Furtado Neri. O principal motivo dessa possibilidade é que a língua da criança apresentava alguns sinais que podem indicar uma tentativa de estrangulamento. Porém, apenas depois que o laudo da necropsia for finalizado é que será possível uma melhor definição do ocorrido.

Felipe foi sepultado nessa quarta, no cemitério morada da Paz, no bairro de Emaús, em Parnamirim, município da Grande Natal. O local do enterro de Adriano não foi revelado.