Corpo de criança morta pelo pai tem sinais de asfixia
Menino foi assassinado na manhã desta quarta, em Natal. Pai teria cometido suicídio logo em seguida
Por Redação - Publicado em 30/09/2015 às 13:38

As primeiras análises do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) mostram que a criança Felipe Furtado Neri (três anos) – que teria sido morta pelo próprio pai – o advogado Adriano Benvindo Neri, em Natal, pode ter sido asfixiada antes de ser morta.

O principal motivo dessa possibilidade é que a língua da criança apresentava alguns sinais que podem indicar uma tentativa de estrangulamento. Porém, apenas depois que o laudo da necropsia for finalizado é que será possível uma melhor definição do ocorrido.

Adriano Benvindo é o principal suspeito de ter assassinado o próprio filho com dois tiros, que atingiram o queixo de Felipe Furtado. Depois, Adriano teria se matado com mais quatro disparos. Segundo informações da PM, Adriano não aceitava o fato de ter perdido a guarda do filho para a ex-mulher.