Esperança
Após testes, Rússia diz que aplicará vacina contra Covid-19 em outubro
Ministro da Saúde afirma que médicos e professores russos serão os primeiros a receberem a dose do imunizantes desenvolvido pelo país
Por Redação - Publicado em 01/08/2020 às 17:49

Os ensaios clínicos da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa Epidemiológica e Microbiológica da Rússia (Gamalei) foram concluídos, e já foi iniciada a etapa de registro, segundo informações divulgadas neste sábado (1º) pelo ministro da Saúde do país, Mikhail Murashko.

“A vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pelo centro Gamalei concluiu os ensaios clínicos e agora os documentos para o seu registro estão sendo preparados”, declarou Murashko, citado pela agência de notícias local TASS.

Segundo o ministro, médicos e professores serão os primeiros a receberem a vacina, e espera-se que ela seja distribuída para diversas regiões da Rússia a partir do próximo dia 10.

“Estamos planejando que a campanha de vacinação mais extensa, que será gradualmente acrescentada ao novo sistema de cuidados, começará em outubro”, afirmou.

Murashko acrescentou que a segunda vacina russa, desenvolvida pelo centro Vector, está atualmente em processo de ensaios clínicos. Segundo ele, o Ministério da Saúde acredita que receberá em um mês e meio ou dois meses mais dois pedidos de permissão para realizar ensaios clínicos de novas vacinas.

Na sexta-feira (31), o epidemiologista americano Anthony Fauci demonstrou preocupação e afirmou que espera que China e Rússia estejam realmente fazendo os devidos testes antes de aplicar as vacinas que estão desenvolvendo contra o novo coronavírus.

Fauci deu a declaração depois que as autoridades russas disseram que estavam próximas de aprovar a imunização, adiantando-se aos esforços dos Estados Unidos.

A Rússia vem registrando uma pequena melhora na tentativa de conter a propagação do vírus SARS-CoV-2, com menos de 6 mil novos casos de infecção por dia. Hoje, foram confirmadas mais 95 mortes por covid-19, 66 a menos que ontem. Desde o início da pandemia, foram reportados 845.443 contágios e 14.058 óbitos.

*Com informações do R7