BUSCAR
BUSCAR
Acréscimo
Teto do salário mínimo sobe para R$ 945 em 2017; INSS atinge R$ 5.578
Por lei, o salário mínimo tem reajuste maior, que considera a inflação mais o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes
Cristiane Gercina - Folha de S. Paulo
18/12/2016 | 11:55

O teto do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) deverá subir dos atuais R$ 5.189,82 para R$ 5.578 no ano que vem, um reajuste de 7,48%, conforme o Orçamento de 2017 aprovado na quinta (15) pelo Congresso.

O aumento do salário mínimo também foi aprovado. O novo piso deve subir de R$ 880 para R$ 945,80.

Por lei, o salário mínimo tem reajuste maior, que considera a inflação mais o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes. Já os benefícios do INSS acima do piso recebem só a correção da inflação. Porém, como o país não cresceu em 2015, o piso e as aposentadorias maiores terão só o reajuste da inflação.

O aumento do salário mínimo é definido por decreto presidencial, que costuma ser publicado nos últimos dias do ano. Já o das aposentadorias só sairá no dia 11 de janeiro, quando o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgar a inflação de 2016. O índice usado na correção dos benefícios é o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).

O Orçamento aprovado para 2017

Reajuste dos benefícios do INSS

>>Em 2017, o índice será igual para todos os segurados

>>Como o país não cresceu em 2015, todos terão apenas a inflação pelo INPC

Salário mínimo

O piso das aposentadorias segue a fórmula do salário mínimo, que considera a inflação e o crescimento do país

Estimativa do governo

Os ministérios da Fazenda e do Planejamento estimam uma inflação de 7,48% no período de janeiro a dezembro deste ano

Novo teto das aposentadorias

O teto, que é o valor máximo do INSS, deverá subir de R$ 5.189,82 para R$ 5.578

Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.