Publicidade
Nutrição
Dicas de alimentação para as grávidas
Alimentação rica pode fortalecer o sistema imunológico e prevenir que a criança desenvolva, em sua fase adulta, doenças como obesidade
Por Redação - Publicado em 12/02/2020 às 02:40
Cedida
Confira nutrientes que não podem faltar no dia a dia durante os nove meses

Você sabia que cuidados simples durante a gestação, como ter uma atenção dedicada a alimentação, atividade física, sono adequado e suplementar nutrientes, por exemplo, como o ferro, cálcio, ômega 3 e vitaminas, quando recomendadas por especialista, fortalecem o sistema imunológico e previnem que a criança desenvolva, em sua fase adulta, doenças como obesidade.

O ginecologista Ben-Hur Albergaria selecionou os principais nutrientes que não podem faltar no seu dia a dia nos próximos nove meses.

Vitamina A

A Organização Mundial da Saúde recomenda que, durante a gravidez e amamentação, mulheres façam a suplementação de vitamina A para evitar o risco de anemia, infecções e cegueira noturna. A vitamina A ainda é responsável pelo desenvolvimento do coração, aparelho circulatório e digestivo do bebê.

Complexo B (B1, B2, B3, B6, B12) e Ácido fólico (vitamina B9)

O complexo B é importante para o desenvolvimento de novas células. Ácido fólico (B9) auxilia a formação do tubo neural e previne problemas que comprometem o desenvolvimento da coluna vertebral, cérebro, boca e lábios dos bebês. A chance de mulheres brasileiras gerarem bebês com problemas de malformação dessas estruturas como a anencefalia, por exemplo, que á a ausência de cérebro, é de 1 para cada 1.000 bebês nascidos, em média. Contudo, quando a grávida suplementa a vitamina B9, o ácido fólico, essa incidência cai consideravelmente. O ácido fólico evita até 75% das malformações no tubo neural do feto, como anencefalia2-4.

Vitamina D

A vitamina D deve ser suplementada em gestantes que tenham baixa dosagem no organismo. Este nutriente, em específico, tem papel importante na absorção do cálcio na dieta e, certamente, deve ser suplementada por orientação médica. Ainda auxilia na redução do baixo peso fetal, com menor risco de parto prematuro; adicionalmente, a suplementação de vitamina D combinada com cálcio poderia reduzir a ocorrência de pré-eclâmpsia.

Ômega 3

A dieta materna, antes da concepção, é de extrema importância para a saúde e desenvolvimento do feto. De acordo com a Associação Brasileira de Nutrologia, o consumo materno de DHA, presente em suplementos como Gestamax, é essencial para a formação de todas as membranas celulares do sistema nervoso central, podendo aumentar a acuidade visual, prolongar gestações de alto risco, aumentar peso do recém-nascido, melhorar imunidade e desenvolvimento cerebral do bebê.

Ferro

Anemia por deficiência de ferro é a carência nutricional mais prevalente no mundo, atinge todos os grupos sociais e blocos geoeconômicos, porém associa-se a condições sociais e ambientais inadequadas. Gestantes se destacam como um dos grupos mais suscetíveis, devido à elevada necessidade de ferro, determinada pela rápida expansão dos tecidos e da produção de hemácias. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que mais da metade das gestantes seja anêmica nos países em desenvolvimento, enquanto nos países desenvolvidos a anemia afetaria cerca de um quarto das gestantes.

Cálcio

O cálcio, por sua vez, tem papel fundamental no desenvolvimento físico da criança, já que melhora a calcificação óssea, a força muscular e ainda promove a estabilidade do sistema imunológico. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a suplementação de cálcio para prevenir a pré-eclampcia em todas as grávidas com dieta pobre em cálcio, ou seja, consumo menor que 900 mg de cálcio/dia.

Publicidade
Publicidade