BUSCAR
BUSCAR
Esporte
Voando alto: Potiguar treina equipe de basquete de escola dos EUA
Treinador potiguar Luiz Afonso Rangel trabalha há quase um ano como assistente técnico do time da escola Bishop Walsh, em Cumberland, no estado de Maryland, nos Estados Unidos. Hoje, ele prepara a equipe masculina para o National Interscholastic Basketball Conference, um torneio que reúne os 8 melhores times do ensino médio americano
Helliny França
02/02/2021 | 08:13

Vivendo o basquete desde os 10 anos, o potiguar Luiz Afonso Rangel está há quase 1 ano trabalhando como assistente técnico do time da escola Bishop Walsh em Cumberland no estado de Maryland, nos Estados Unidos. Agora, Afonso prepara a equipe masculina para o National Interscholastic Basketball Conference, um torneio que reúne os 8 melhores times de high school do país (high school seria o equivalente ao ensino médio no Brasil). Atualmente ele trabalha com o head coach Dan Prete que já treinou Kevin Durant, o jogador é uma das estrelas da NBA, a principal liga norte-americana de basquete.

O potiguar de 28 anos, que é graduado em Direito e Educação Física, começou a carreira no esporte como jogador no Colégio Marista de Natal. Após terminar o ensino médio, a pedido do seu mentor Rodrigo Carlos, Luiz passou a acompanhar os treinos da equipe do Marista, se tornando assistente técnico voluntário em 2010. A partir desse momento, ele descobriu uma nova paixão dentro do esporte.

“E quando menos esperava, a paixão que tinha enquanto jogador tomou outra forma. Percebi que através do basquete eu poderia cumprir o meu propósito de fazer a diferença na vida das pessoas. Além da paixão pelo jogo em si, havia descoberto uma vocação”, relatou.

Após descobrir a vocação como técnico, o potiguar passou a se especializar no assunto, fez cursos, buscou ter novas experiências na área acompanhando o trabalho de grandes clubes do Brasil, como Palmeiras, Bauru, Hebraica, Mackenzie e Americana.

“Passei a praticamente respirar basquete. Desde o começo, procurei me doar ao máximo em tudo que fazia e aproveitar todas as oportunidades possíveis de aprender mais”, disse.

Como técnico de basquete escolar Luiz conquistou quatro Jogos Escolares do RN, maior competição estudantil da região Nordeste e cinco medalhas de prata e duas de bronze. Com o passar do tempo, ele abriu seu leque e teve experiências em outras equipes dentro e fora do país. O potiguar trabalhou com grupos de atletas em acampamentos de treinamento na Universidade de Duke, e na Montverde Academy nos EUA e no Club Peñarol, na Argentina.

Além de trabalhar no Marista, Luiz também teve a oportunidade de trabalhar na Comissão Técnica das Seleções do RN, na Associação de Pais e Atletas do Basquete (APAB-RN) e no Aeroclube-RN, neste último ele foi um dos iniciadores do programa de basquete.

“Fomos o primeiro time do RN a participar de um Campeonato Brasileiro Interclubes, oportunidade na qual alcançamos o 7º lugar do Brasil com nosso time Sub 21”, relembrou.

Com um vasto currículo na área, o potiguar colhe os frutos de anos de dedicação e estudo dentro da modalidade. Em 2021, Luiz completa 11 anos como técnico com uma experiência ímpar de trabalhar no país que possui a maior liga do basquete mundial.

“Com o tempo, fui ganhando reconhecimento pelos trabalhos realizados em Natal, em outros estados e fora do Brasil, e esse reconhecimento acabou chegando mais longe. Foi quando recebi o convite para uma reunião nos EUA. No final, essa reunião se tornou uma entrevista de emprego”, contou.

Além de trabalhar com Dan Prete, o potiguar também teve oportunidade de trocar experiências com profissionais com passagem por grandes times da NBA, como Micah Fraction do Orlando Magics e Blair O’Donovan do Washington Wizards.

“Luiz trabalha no desenvolvimento dos atletas, foca nos detalhes, mostra o que eles precisam melhorar todos os dias dentro e fora da quadra. Seu conhecimento no basquete é impressionante”, disse Micah.

Agora, o potiguar se prepara para voar mais alto e aplicar tudo que aprendeu ao longo da carreira para levar o Bishop Walsh à elite do basquete escolar nos Estados Unidos. Sobre a oportunidade de trabalhar fora, Luiz é grato aos que colaboraram em sua formação.

“O principal sentimento é de gratidão, por tudo que vivenciei e por todos que fizeram parte da minha caminhada. Acredito que uma das chaves para a realização e a felicidade é focar no caminho, aproveitar cada momento, ao invés de pensar somente no resultado”, relatou.

Para o futuro, o potiguar vê a possibilidade de novos projetos e adianta que já recebeu alguns convites de trabalho, mas garante que o seu propósito é fazer através de seu trabalho a diferença na vida das pessoas.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.