BUSCAR
BUSCAR
Crime
Vídeo flagra momento em que juíza aposentada chama atendente de macaca no RJ
No vídeo é possível ver o momento em que a agressora está criando uma confusão com a vítima por conta de um pacote de ração que havia comprado em outro momento e exigia que fosse trocado por um novo
O Povo
22/12/2020 | 19:40

Uma mulher de 78 anos foi flagrada cometendo injúria racial contra a atendente de um Pet Shop na região serrana do Rio de Janeiro. O momento em que a idosa, que se identificou como juíza, chama a funcionária do estabelecimento de “macaca” foi registrado em vídeo por testemunhas. Caso ocorreu na cidade de Teresópolis na última quarta-feira, 16, e o vídeo passou a circular nas redes sociais esta semana.

No vídeo é possível ver o momento em que a agressora está criando uma confusão com a vítima por conta de um pacote de ração que havia comprado em outro momento e exigia que fosse trocado por um novo, já que alegava ter recebido um produto diferente do que havia comprado.

Após ser informada que não seria possível, ela passou a pedir o dinheiro de volta e ao não ter o desejo atendido passou a xingar a funcionária do local. “Ah, vá plantar batata, ô macaca”, afirmou a juíza aposentada. Diante da ofensa, Thainá, que a todo momento pedia para que a mulher se acalmasse, questiona a cliente, que rebate: “é isso mesmo que você ouviu”.

A vítima, Thainá Rocha, de 25 anos, acionou a Polícia diante do ocorrido e contou ao G1 que quando questionada pelos policiais, a mulher afirmou que somente falaria com o “presidente do tribunal”, por ser uma juíza. Ainda segundo Thainá, diante da fala, os policiais pediram para que a agressora se identificasse e ela teria afirmado: “meu filho, eu não ando com minha carteirinha porque eu não dou carteirada em ninguém, mas você está falando com uma juíza”.

Com base no nome registrado no Boletim de Ocorrência do caso, pode-se constatar que a acusada já está aposentada, não exercendo mais nenhuma função no Judiciário carioca. Pelo fato de já ter encerrado a magistratura, a idosa deverá responder como um cidadão civil ao caso.

A ocorrência foi atendida pela Polícia Militar do Rio de Janeiro, que encaminhou as duas mulheres para delegacia da Polícia Civil do bairro Barra do Imbuí, que apura o caso. Segundo informações do G1, testemunhas já foram ouvidas e o ocorrido segue em investigação, tendo se tornado um inquérito criminal de injúria, já que Thainá se identifica como uma mulher branca.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.