BUSCAR
BUSCAR
Na Globo
VÍDEO: Ao vivo, William Bonner perde a paciência com Bolsonaro: “Seja responsável”
'Jornal Nacional' sobe o tom contra o presidente após declarações polêmicas sobre a vacinação infantil
Terra
07/01/2022 | 15:25

A contrariedade ficou estampada na face de William Bonner ao noticiar sobre mais ataques de Jair Bolsonaro contra a vacinação de crianças e a atuação da ANVISA.

O âncora e editor-chefe do ‘JN’, principal telejornal do Brasil e transmitido ao vivo, é conhecido por demonstrar o que pensa de maneira discreta. Mantém o autocontrole até quando é xingado pelo presidente, o que acontece com frequência.

Na quinta-feira (6), visivelmente irritado, ele usou o recurso do ‘editorial’ para criticar Bolsonaro, provocar o presidente a assumir suas responsabilidades e sugerir que ele seja enquadrado por desrespeitar a garantia da população ao acesso universal à saúde previsto na Constituição.

O trecho mais enfático: “O presidente Jair Bolsonaro é responsável pelo que diz, pelo que faz. Espera-se que venha também a ser responsável por todas as consequências daquilo que faz e diz”.

Foi a mais dura contestação das palavras, atitudes e do cumprimento das obrigações institucionais de Bolsonaro desde a edição de 8 de agosto de 2020, quando o ‘Jornal Nacional’ destacou a marca de 100 mil brasileiros mortos pela covid-19 e o negacionismo bolsonarista.

“Nós já mostramos o que diz o artigo 196 (da Constituição). É dever das autoridades que governam o País implementar políticas que visem a reduzir o risco de doenças. E a pergunta que se põe é: o presidente da República cumpriu esse dever?”, questionou o telejornal naquela noite.

Ontem, o ‘JN’ ressaltou a reação de especialistas da saúde e associações médicas contra a insistência do presidente em negar a eficácia das vacinas e desprezar as medidas de prevenção, além de desdenhar as mais de 300 mortes de crianças entre 5 e 11 anos pelo coronavírus.

Como quase sempre acontece, o governo ignorou o espaço oferecido pela Globo para a defesa do presidente. “O ‘Jornal Nacional’ pediu ao Palácio do Planalto que se pronunciasse a respeito das críticas veementes dos médicos às declarações do presidente Jair Bolsonaro. Mas nós não recebemos nenhuma resposta”, informou a âncora Renata Vasconcellos.

Visto por cerca de 50 milhões de brasileiros todas as noites, o ‘JN’ tem o poder de influenciar a avaliação pública dos governantes. A sequência de manchetes negativas sobre Bolsonaro no telejornal mais assistido do País está refletida em sua popularidade de apenas 20%, segundo diferentes pesquisas.

Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.