BUSCAR
BUSCAR
Hipótese
Vazamento de óleo no Nordeste pode ter vindo da África, sugerem pesquisadores
Laboratório da UFAL identificou, via satélite, manchas no Golfo da Guiné, que explicariam o desastre ambiental; derramamento completa um ano sem ter responsáveis identificados
Redação / OGlobo
21/08/2020 | 08:11

Pesquisadores do Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélite (Lapis), da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), fizeram uma nova descoberta sobre a origem do derramamento de mais de cinco mil toneladas de petróleo que atingiu as praias do Nordeste, no ano passado, e há a possibilidade do óleo ter vindo da África. É o que diz uma reportagem publicada no OGlobo.

Segundo a matéria, após a análise de imagens registradas via satélite, os especialistas identificaram uma mancha que pode ser de um vazamento de óleo no Golfo da Guiné, na África. Com as correntes oceânicas, o material poderia ter vindo parar na costa brasileira.

Em dezembro de 2019, os cientistas do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe) já haviam aventado a possibilidade de que o óleo teria vazado no sul da África, sendo trazido para o Brasil através das correntes marítimas do Oceano Atlântico. Essa hipótese, que contrariava as investigações conduzidas pela Polícia Federal (PF) não foi, porém, sustentada por muito tempo.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.