BUSCAR
BUSCAR
Opinião
Um novo grupo político no RN?; leia opinião de Sávio Hackradt
Surge à frente de Carlos Eduardo uma oportunidade única: ele liderar, nesse momento, a criação de um novo grupo político no campo do centro democrático
Sávio Hackradt
18/11/2023 | 05:00

Na semana passada, aqui neste espaço, escrevi sobre o fato, a versão e a especulação acerca do cenário político em Natal e no RN. Eu disse ainda que no artigo desta semana iria também especular. Então vamos lá!

Uma aliança entre o ex-prefeito Carlos Eduardo (PSD) e o atual prefeito Álvaro Dias (Republicanos), com apoio do deputado federal Paulinho Freire (União Brasil) e do ex-prefeito de Natal, ex-governador e ex-senador José Agripino Maia (União Brasil), pode ser o início da formação de um novo grupo político no Rio Grande do Norte, com características de centro, centro esquerda e centro direita, em seu campo ideológico. Esse novo grupo político pode ainda atrair partidos como Cidadania, PSB, PP e outros tais da cena política potiguar.

O inusitado é quem possibilita isso: Carlos Eduardo, considerado por todas as lideranças como “político difícil de conviver e que não sabe fazer grupo”. Pois é. A eleição para prefeito de Natal, em 2024, apresenta Carlos Eduardo como o nome capaz de reunir todas essas forças. E mais. Com a possibilidade desse novo grupo político permanecer unido para eleição de 2026, onde estarão em jogo as vagas de governador, vice-governador, dois senadores e seus respectivos suplentes, além de deputados federais e estaduais.

Surge à frente de Carlos Eduardo uma oportunidade única: ele liderar, nesse momento, a criação de um novo grupo político no campo do centro democrático, reunindo em torno de sua candidatura forças que até o momento vinham caminhando isoladamente.

Ao se concretizar essa aliança centrista, resta às outras forças políticas se reunirem em dois grupos: pela esquerda, a federação formada por partidos como o PT, PCdoB, PV, à qual naturalmente se aliariam ao PDT e o PSOL. Pela direita o PL, por enquanto isolado.

A tarefa mais difícil cabe ao PL. Aqui no RN, o senador Rogério Marinho, líder da extrema direita, que começou sua carreira política na esquerda, com o PSB, terá uma tarefa gigante para se posicionar na eleição para prefeito de Natal com uma candidatura própria, capaz de alimentar o seu sonho de ser governador em 2026.

Formalizado esse grupo do centro democrático em torno do PSD de Carlos Eduardo, para disputar a prefeitura de Natal em 2024, as eleições de 2026 já entram na pauta de discussão desse time. Dois nomes surgem como possíveis candidatos ao governo do estado: Álvaro Dias, que deixará a prefeitura de Natal em 2025, e Alysson, atual prefeito de Mossoró, se for reeleito em 2024 com folga e se tiver um vice de confiança para renunciar à prefeitura em 2026.

Tem um oceano a ser atravessado até 2024 e muitos oceanos a serem navegados até 2026. O ex-presidente Tancredo Neves dizia que há uma hora para os profissionais da política entrarem em campo. Parece que essa hora chegou em solo potiguar por uma via pouco provável: a candidatura de Carlos Eduardo a prefeito de Natal em 2024.

Vamos aguardar para ver quais serão os costureiros dessa textura. A postura de Carlos Eduardo daqui para frente pode colocá-lo no patamar de articulador político, que o seu pai Agnelo Alves e o seu tio Aluísio Alves sempre ocuparam na política do Rio Grande do Norte?
O tempo dirá.

*Sávio Hackradt é jornalista

Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.