BUSCAR
BUSCAR
Astronomia
“Tremeu tudo”: meteoro cai no Ceará e assusta moradores
Moradores de diversos municípios relatam ter ouvido estrondo, além de ver fumaça no céu e sentir forte tremor. Fenômeno é comum, mas avistá-lo é raríssimo, diz astrônomo
Correio Braziliense
11/10/2020 | 10:36

Um ruído intenso, acompanhado de tremor e de um clarão no céu, assustou moradores do interior do Ceará na manhã deste sábado 10. É que um meteoro, de proporções ainda desconhecidas, se chocou com a atmosfera terrestre e possivelmente produziu meteoritos que podem ter se espalhado pela região do Maciço do Baturité — ao sul da capital Fortaleza.

“Sabe dizer se um clarão e um barulho ouvido hoje no interior do Ceará foi um meteoro? (Eu vi) tipo uma bola de fogo no céu e um barulho muito alto. Moro na cidade de Canindé”, relatou uma moradora da região ao perfil da Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon), no Instagram.

Pela rede social e por um formulário disponibilizado no próprio site, a Bramon recebeu outras descrições parecidas do episódio. “Aqui na região, que fica entre Baturité e Guaramiranga, foi bem forte. Será que caiu por aqui? Tremeu e teve um barulho muito forte. Eu tinha acabado de entrar no quarto quando ouvi o enorme barulho, saí e só vi o eco do barulho. Minha mãe disse que sentiu tremer”, contou outro morador.

Bólido 

O objeto, cujo impacto chegou a ser confundido com um forte trovão ou a queda de um avião, é chamado de bólido, nome que se dá a um meteoro que, ao colidir com a atmosfera terrestre, provoca um estrondo e forma uma bola de fogo tão clara quanto a lua cheia.

“Esse bólido ocorreu às 6h47 da manhã deste sábado. Alguns moradores disseram que tremeu tudo lá, tipo um terremoto. Estamos tentando ver se alguém aqui pegou o estrondo ou se alguma câmera de vigilância captou alguma coisa. Também disseram que viram uma fumaça no céu, quando correram para ver o que foi”, detalha o astrônomo e astrofotógrafo José Lucas Ferreira.

Membro da Bramon e presidente do grupo Notícias Astrômicas, Ferreira explica que o corrido neste fim de semana no Ceará é muito semelhante ao bólido avistado em julho deste ano no sertão de Pernambuco.

“Foi a mesma coisa que aconteceu em Pernambuco. O bólido causa esse tremor, então muita gente acha que é um terremoto. O que marcou e que nos indica que o fenômeno do Ceará tem 90% de chance de ser um bólido é: trilha de fumaça no céu e o tremor que ocorreu na região”, comenta.

Chuva de meteoros

O astrônomo explica ainda que o mês de outubro costuma ter uma chuva de meteoros bastante conhecida, chamada de Draconídeas. A previsão era de que o pico do fenômeno ocorresse entre a última terça (6/10) e este sábado (10/10).

“Não dá para dizer que foi ela que causou exatamente esse bólido, mas é normal a entrada de toneladas de meteoros todos os dias na nossa atmosfera, mas alguns a gente não consegue presenciar porque são muito fracos. Esses bólidos são normais de ocorrer, mas é muito raro que a gente perceba um fenômeno desse”, pontua. A explicação para a nossa baixa percepção desse tipo de acontecimento astronômico é, além do impacto muitas vezes pequeno, a poluição luminosa das grandes cidades.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.