BUSCAR
BUSCAR
Expectativa

Terminal Pesqueiro de Natal vai a leilão em junho: “Importante é botar para funcionar”

De acordo com secretário da Agricultura, Pecuária e da Pesca, equipamento deve receber investimento de até R$ 4 milhões; concessão será válida por 20 anos
Redação
27/03/2024 | 08:00

Está marcado para o mês de junho o leilão do Terminal Pesqueiro de Natal. Parado desde 2010, o equipamento teve aviso de licitação publicado na edição desta segunda-feira, 25, no Diário Oficial da União. Localizado na Ribeira, Zona Leste da capital potiguar, o local teve construção iniciada em 2009 mas as obras foram interrompidas no ano seguinte e nunca entrou em operação. A concessão será válida por 20 anos e deve receber investimento inicial de até R$ 4 milhões.

De acordo com Guilherme Saldanha, titular da Secretaria da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape/RN), o terminal é um importante equipamento para incentivar e ampliar a atividade pesqueira no estado. “A capacidade frigorífica que ele possui, um conjunto de câmaras frias, é área destinada a beneficiamento, limpeza, seleção, empacotamento do pescado, mas também pode ser, por exemplo, para fazer algo de beneficiamento de camarão. É um conjunto de câmaras frigoríficas e salas para beneficiamento de produtos aquícolas. Não só peixe, mas camarão também. Talvez uma das maiores do RN. O cais tem tamanho que permite, por exemplo, descarregar três barcos pesqueiros de uma vez só. Então, eu diria que talvez seja a maior área nessa área de beneficiamento e também de cais que tem disponível para a gente utilizar nesse setor pesqueiro e aquícola”, avaliou.

Terminal Pesqueiro de Natal RN (9)
Terminal Pesqueiro de Natal teve obras iniciadas em 2009, paralisadas em 2010 e nunca entrou em funcionamento; concessão à iniciativa privada por 20 anos vai mudar quadro do equipamento - Foto: José Aldenir/Agora RN

Saldanha afirma que enxerga a concessão do terminal pesqueiro de Natal com otimismo. “O Rio Grande do Norte já é o maior exportador de atum do Brasil. Há cerca de dois a três anos vem voltando a exportar muito a lagosta, que está nesse segmento. A pesca ganha muito com um terminal com esse tamanho, com esse porte, iniciando a operação”, antevê.

Ainda de acordo com o secretário, ele enxerga a concessão do terminal com otimismo também tomando por base os estudos de viabilidade técnica e econômica (EVTE) realizados. “Esses estudos custavam cerca de R$ 150 mil. Aproveitar os valores do último leilão para fazer o pagamento desses estudos. Então o estudo do Terminal Pesqueiro do Rio Grande do Norte está também com valor simbólico de R$1,60. E por último é o valor necessário para a conclusão do Terminal Pesqueiro, que é da ordem de R$ 3,5 milhões a R$4 milhões, que antigamente você precisava depositar 48 horas depois do leilão e agora estabelecer um prazo que pode ser incorporado posteriormente”, disse.

Em março de 2022, uma primeira tentativa de concessão do equipamento à iniciativa privada resultou em licitação deserta. O secretário afirma não acreditar que este cenário se repita. “Ao contrário, eu acredito que vai ter disputa. Por quê? O que foi feito diferente desse leilão para o leilão anterior, e que demorou um pouquinho porque precisou de uma análise e uma aprovação do próprio Tribunal de Contas da União para que se fosse essas medidas. Primeiro, o Governo Federal entendeu que não é importante você arrecadar dinheiro com a outorga, com a concessão do Terminal Pesqueiro. O importante é botar ele para funcionar, gerar emprego, gerar renda, gerar imposto. Incrementar a atividade”, disse.

O leilão acontecerá na Brasil, Bolsa, Balcão (B3), que será responsável pelo assessoramento técnico e vai conduzir o certame. Além do terminal da capital potiguar, outros em Aracaju, Santos e Cananéia também serão leiloados. Segundo o Ministério da Pesca e Aquicultura, em novembro do ano passado o Terminal Pesqueiro de Natal, conforme o Ministério, alcançou o índice de 83,53% das obras executadas. Naquela época, não existia previsão para conclusão das obras.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Brasil colherá 297,5 milhões de toneladas de grãos, estima a Conab
Colheita de arroz antes das enchentes evitou maiores problemas
13/06/2024 às 14:50
Prefeitura de Ceará-Mirim antecipa pagamento de parcela do 13°
Pagamento corresponde a 40% dos salários que pela legislação, poderiam ser depositados até 30 de novembro
13/06/2024 às 10:30
Supremo decide que FGTS deve garantir correção pelo IPCA
Proposta não será aplicada a valores retroativos
12/06/2024 às 18:41
Dólar bate R$ 5,43 após Lula criticar mercado e desgaste gerado por MP
Dólar tem maior cotação desde dezembro de 2022
12/06/2024 às 16:37
Câmara aprova e “taxa das blusinhas” agora espera sanção de Lula
Projeto do Mover foi alterado no Senado Federal, e proposta voltou para ser analisada na Câmara dos Deputados. Agora aguarda sanção
11/06/2024 às 21:47
BC planeja pagamento com Pix por aproximação com Google e Apple Pay, diz Campos Neto
Ele também defendeu o diálogo entre países para que se avance em uma integração global de sistemas de pagamento instantâneo
11/06/2024 às 18:16
Haddad proporá a Lula mudanças no formato de pisos de Saúde e Educação
Ministro assegurou que limites de crescimento real não trarão perdas
11/06/2024 às 17:07
MPRN, MPCe TCE se reúnem para debater fiscalização ao orçamento sanitário estadual
Encontro teve como objetivo fortalecer parceria entre as instituições para ampliar e qualificar a proteção e a defesa do direito social à saúde
11/06/2024 às 16:41
Governo anula leilão de arroz importado após indícios de irregularidades
Segundo Edegar Pretto, da Conab, um novo leilão será realizado, para contratar empresas 'com capacidade técnica e financeira'
11/06/2024 às 14:23
Sesc RN anuncia editais de fomento à cultura com investimento de mais de R$ 500 mil
Oportunidades são para as áreas de Audiovisual, Intervenção Urbana (Arte Grafite) e Galeria Sesc (Artes Visuais e Mediação).
07/06/2024 às 18:27
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.