BUSCAR
BUSCAR
Posicionamento
“Somos vítimas de chacota mundial”, diz Barroso sobre Bolsonaro
Na abertura da sessão desta quinta-feira, presidente do TSE rebateu declarações de Bolsonaro sobre sistema eleitoral do país
Metrópoles
09/09/2021 | 10:58

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, tratou como “retórica de palanque” o discurso do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), durante os atos pró-governo e antidemocráticos realizados nessa terça-feira 7.

“Retórica vazia, política de palanque”, disparou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), ao abrir sessão plenária de julgamento, nesta quinta-feira 9.

No discurso, Barroso explicou detalhadamente os conceitos de populismo, extremismo e autoritarismo, e ainda rebateu, uma por uma, as declarações feitas por Bolsonaro sobre o sistema eleitoral do país.

“O populismo vive de arrumar inimigos para seus fiascos, pode ser a imprensa, o comunismo, os tribunais”, disse.

“Já começa a ficar cansativo no Brasil ter que repetidamente desmentir falsidades, para que não sejamos dominados pela pós-verdade, pelos fatos alternativos, para que a repetição da mentira não crie a impressão de que ela se tornou verdade. É muito triste o ponto a que chegamos”, completou o presidente do Tribunal Eleitoral.

Também estiveram presente na sessão os ministros do STF Edson Fachin, Cármen Lúcia e Alexandre de Moraes – que foi atacado diretamente pelo presidente Jair Bolsonaro, na terça-feira.

“A falta de compostura nos envergonha perante o mundo. A marca Brasil sofre nesse momento uma desvalorização global. Não é só o real que está desvalorizando. Somos vítimas de chacota e desprezo mundial”, afirmou ele.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.