BUSCAR
BUSCAR
Segurança
Sindicato ressalta importância do trabalho dos policiais civis do RN
No ano de 2019, a categoria bateu recorde. Entre os números, estão 1.556 prisões realizadas em todo o Estado e quase 20 mil investigações concluídas
Redação
18/05/2020 | 05:00

Nos momentos de crise, como os vividos atualmente, algumas categorias profissionais ganham mais visibilidade por estarem na linha de frente de atuação. Nos últimos anos, a crise da segurança pública tem sido um desafio para a sociedade, e os policiais civis do Rio Grande do Norte têm apresentado números que destacam a importância da categoria.

De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública (Sinpol-RN), no ano de 2019, os policiais civis bateram recordes em atuações. Foram 1.556 prisões realizadas em todo o Estado e mais de quatro toneladas de drogas apreendidas. Além disso, 19.556 investigações foram concluídas e remetidas à Justiça.

Agora em 2020, os bons números continuam, mesmo diante da crise instalada pelo novo coronavírus. De 1º de janeiro até o dia 13 de maio, foram 393 prisões realizadas no Estado. “O trabalho da Polícia Civil não parou em nenhum momento dessa pandemia. As delegacias continuam abertas, investigações estão sendo realizadas e operações deflagradas”, explica Nilton Arruda, presidente do Sinpol-RN.

Ele ressalta que algumas medidas preventivas ao coronavírus foram adotadas, e muitas delas por iniciativa do próprio sindicato.

“Logo nos primeiros dias que foi estabelecido que se tratava de uma pandemia, nós do Sinpol-RN passamos a realizar algumas ações para preservar os policiais civis e a própria sociedade. Fizemos entregas de materiais como máscaras, luvas e álcool em gel em muitas unidades e também ingressamos com uma ação judicial para cobrar que o Estado fornecesse os equipamentos de proteção individual (EPIs), tendo decisão favorável à categoria”, comenta.

Nilton Arruda afirma ainda que o Sinpol-RN também participou da doação de protetores de rosto para os policiais civis, através de uma parceria feita com a Universidade Estadual da Paraíba, que produziu esses EPIs.

“Nós resolvemos não apenas cobrar providências das autoridades, mas também contribuir por entendermos que esse momento é de união em prol de toda a sociedade. Se os policiais civis estiverem protegidos, terão melhores condições de continuar exercendo suas atividades diariamente. A criminalidade não entrou em quarentena, então, a polícia continua operante e alerta”, afirma.

O presidente do Sinpol-RN cita, inclusive, que, neste período, foram realizados trabalhos relacionados ao próprio coronavírus. “Infelizmente, algumas pessoas se aproveitam de momentos como esse para aplicar golpes. Porém, os policiais civis têm atendido a essas demandas e prendido os golpistas, bem como tirando de circulação produtos falsificados ou irregulares”, complementa

Por fim, Nilton Arruda destaca que o Sinpol-RN também vinha trabalhando para garantir a aprovação do projeto de reestruturação da categoria, construído junto ao Governo do Estado após uma luta dos próprios policiais civis. A matéria estava na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte desde o ano passado, tendo sido aprovada em todas as comissões, faltando apenas votação do plenário.

“Esse projeto muda a estrutura da carreira dos policiais, que passa a ser apenas verticalizada, com promoções em classes, extinguindo os níveis e desburocratizando o processo de promoção com a simplificação dos trâmites. Foi importante os deputados e o governo terem entendido a necessidade de aprovar essa matéria para respaldar e valorizar esse trabalho que vem sendo realizado”, finaliza.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.