BUSCAR
BUSCAR
Finanças
Sem futebol, ABC e América lutam para sobreviver durante pandemia
Sem renda de jogos e com salários e outras dívidas para quitar, a crise no setor financeiro é a maior preocupação para a direção das duas equipes
Redação
20/04/2020 | 05:00

Já faz mais de um mês que tudo parou. A pandemia do coronavírus fez com a bola não rolasse mais nos gramados pelo mundo inteiro. ABC e América jogaram pela última vez no dia 14 de março, ambos pela Copa do Nordeste. O alvinegro foi vitorioso no último jogo antes da paralisação, ganhou por 4 a 3 do Imperatriz (MA). Já o alvirrubro perdeu em casa para o Bahia, por 2 a 0.

Sem jogos, a sobrevivência fica complicada para qualquer clube. Com salários e outras dívidas para quitar, as crises administrativas e financeiras ganham maiores proporções dentro das equipes.

Pelo lado do América, a classificação para a terceira fase da Copa do Brasil é um fator que tem contribuído para que o alvirrubro mantenha estável sua saúde financeira. Na ocasião, o time americano arrecadou R$ 1,6 milhão. De acordo com o vice-presidente do clube, Ricardo Valério, o montante recebido não é o suficiente para sustentar até o final do ano, mas dá para fechar o semestre.

“Com dinheiro que a gente recebeu por chegar na terceira fase na Copa do Brasil, hoje o América tem mais de R$ 720 mil no caixa. Com esse dinheiro da Copa do Brasil, não temos folga para o ano, mas temos um fôlego até o segundo semestre. Se passarmos pelo Juventude, entra mais 2 milhões e aí sim terminamos o ano muito bem. Esse foi o maior problema da paralisação naquele momento, o Juventude estava mal, agora a equipe vai se reforçar”, contou.

A liberação do atacante Tiago Orobó, negociado com o Fortaleza (CE), e a rescisão do meia Luiz Fernando são algumas baixas do time para a sequência da temporada. Em contrapartida às saídas, o meia Dione, um dos destaques da equipe, renovou seu vínculo com a equipe.

Segundo Ricardo Valério, medidas estão sendo tomadas para que novas dívidas não venham a surgir neste período de pandemia. Reduções em bônus dos atletas também estão sendo realizadas pelos dirigentes, para que a crise não afete o calendário de pagamento dos salários.

“Estamos trabalhando para reduzir os custos com os salários dos jogadores, respeitando o que a legislação e a CBF permitem durante essa pandemia, por exemplo, a diminuição em até 25% do direito de imagem. Ontem, o América teve uma audiência sobre dívidas tributárias e conseguimos o acordo para pagar parcelado. Estamos trabalhando forte para zerar todas as dívidas trabalhistas até o fim de 2020. Também estamos tendo tolerância zero com novas ações, temos muito cuidado para honrar nossas obrigações para não aparecer novas dívidas”, explicou.

De acordo com o último demonstrativo apresentado pelo América, no mês de março, o alvirrubro fechou as contas com saldo positivo. No balanço aponta R$ 725.024,02 nos cofres americanos. A maior despesa do clube foi com acordos trabalhistas, rescisões, férias e premiações. No total, custou R$ 630.330,26 ao clube.

Já no ABC, a crise interna findou na renúncia de Fernando Suassuna da presidência do time. Para o seu lugar, Bira Marques assumiu o posto. A situação financeira da equipe já era complicada antes da parada.

Recentemente, 30 funcionários foram demitidos do quadro de funcionários do clube.

Diferente do rival, o alvinegro terminou o mês de março negativado em seus cofres, com saldo devedor equivalente a R$ 392, 370, 87. O maior gasto do clube foi com salários e direitos de imagem, com custo total de R$160.266,88. A arrecadação total do ABC em março foi de R$ 896.779,67.

No tocante ao elenco, o repórter da 97 FM e setorista do ABC, Augusto César, apontou que três atletas estão provavelmente se desvinculando da equipe. Marlon, Erivan e Rafinha, tem os contratos já expirados e o clube não deve renovar. João Paulo, Jailson e Igor Goularte são outros jogadores que o contrato já está perto do término, mas o alvinegro já demonstrou interesse em contar com eles para a sequência da temporada.

Como forma criativa de suportar a crise, o ABC decidiu reviver através das suas redes sociais a decisão do Campeonato Potiguar de 2007, em que o alvinegro sagrou-se campeão, ao vencer o América por 5 a 2.

Os ingressos foram vendidos como forma de ajuda do torcedor para que o clube possa suportar a paralisação. Jogadores, técnicos e personagens foram destaques nas redes do alvinegro, para criar o clima da decisão. A “partida” aconteceu no último domingo (19).

Com relação aos lesionados, alguns jogadores do ABC ainda comparecem aos treinos no clube. Wallyson, Ronaldo e João Paulo, estão em processo de reabilitação e devem estar junto do elenco no retorno do clube aos gramados.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.