BUSCAR
BUSCAR
Investigação
Rapaz que acusou vocalista do Molejo de estupro presta depoimento e polícia aguarda imagens de hotel
A Polícia Civil, por enquanto, não chamou Anderson Leonardo para prestar depoimento sobre a acusação. Em nota, ele nega e diz que os fatos “não são verdadeiros”
G1/ Estadão
05/02/2021 | 13:09

Após acusar de estupro o cantor Anderson Leonardo, do grupo Molejo, Maycon Douglas Pinto de Nascimento Adão, o MC Maylon, de 21 anos, chegou à 33ª DP (Realengo) para prestar novo depoimento à Polícia Civil nesta quinta-feira (4). Ele estava acompanhado da mãe, Jupira, que também foi ouvida.

Maylon disse ao G1 que iria à delegacia com o sabonete do hotel em que encontrou Anderson Leonardo, além de uma cueca com manchas de sangue e que supostamente também ainda teria manchas do sêmen do cantor.

A Polícia Civil, por enquanto, não chamou Anderson Leonardo para prestar depoimento sobre a acusação. Em nota, ele nega e diz que os fatos “não são verdadeiros”.

Entenda a acusação

Segundo afirmou Maylon ao G1 nesta quarta-feira (3) à noite, o crime aconteceu em dezembro do ano passado, num hotel em Sulacap, na Zona Oeste do Rio.

“Hoje eu estou muito mais forte pra falar. [Anderson] Era um cara que eu chamava de pai, de padrinho”, contou ao G1 o cantor.

Em nota divulgada também nesta noite, em uma rede social, a assessoria de Anderson Leonardo disse “que os fatos publicados não são verdadeiros” e que “em mais de 30 anos de vida pública, jamais tivera seu nome ligado a qualquer ato criminoso ou que viesse a desabonar ou macular a sua imagem e carreira, seja de sua vida profissional ou pessoal” (confira a nota mais abaixo).

As informações do registro de ocorrência feito por Maylon na delegacia foram antecipadas pelo colunista Alessandro Lo-Bianco, do portal TV Prime, e confirmadas pela equipe de reportagem do G1.

MC Maylon, que inclusive tem uma tatuagem no antebraço do rosto de Anderson, falou que foi levado ao hotel contra a sua vontade. O cantor relatou ao G1 que havia se encontrado com o ídolo para uma reunião.

“Eu nunca tinha feito tatuagem nenhuma. A primeira foi no braço, o rosto dele [Anderson]. A gente era amigo”, lamentou.

Entretanto, depois que estavam no carro a caminho da reunião, Anderson teria mudado o destino, levando Maylon para o hotel. Lá, o cantor disse que começou a ser agredido pelo vocalista do Molejo.

“Quando entramos, ele começou a me agredir. Me deu tapa na cara. Durou uma hora e não sei quantos minutos. Eu nunca ia esperar isso dele. Quando ele penetrou em mim, senti muita dor”, declarou Maylon.
Seguindo o relato, Maylon contou que ouviu de Anderson que era uma “vergonha um viado (sic) de 21 anos ser virgem” e que “pelo menos agora já sabe se é homem ou mulher”.

Sonho de casar virgem

O sonho de Maylon, segundo contou em vídeo publicado em uma rede social, era casar virgem. “Eu queria ter me casado virgem e ele acabou com o meu sonho”, disse o cantor.

Em outro trecho do desabafo, Maylon afirmou que depois do crime passou a não usar maquiagem e reforçou ter sofrido agressões, inclusive verbais, no hotel.

“Hoje meu mundo é isso que eu vivo, sem maquiagem, eu era tão vaidoso, passava tanta maquiagem, meus amigos e amigas sabem disso. E dentro do hotel ele falou pra mim: você tem cara de puta, de prostituta, jamais achava que você era virgem com essas roupas.”

O cantor também incentivou que mulheres e homossexuais denunciem casos de abuso.

“É muito triste, mulheres, gays, não deixem ninguém fazer isso com vocês, vocês são fortes. Eu não vou deixar o Anderson Leonardo acabar com meu sonho, minha vida e minha carreira. (…) Não fiquem com medo, denunciem.”

Acusação de agressão em 1999

Não é a primeira vez que Anderson Leonardo, do Molejo, vê seu nome envolvido em um caso que acaba na delegacia. Em julho de 1999, foi acusado de agressão por Flávia Morais da Silva, à época com 19 anos.

Flávia teria dito que os dois se conheceram numa boate e foi convidada a ir a um hotel com Anderson, que teria pedido para fazer sexo sem usar preservativo. Diante da recusa de Flávia, ele a teria agredido.

Na ocasião, ele negou as acusações, afirmando que Flávia sequer chegou a subir ao seu quarto, começando a se debater sozinha na portaria do hotel, o que foi confirmado pelo porteiro do local em depoimento.

Segundo o vocalista do Molejo, a abordagem de Flávia teria sido feita na rua, quando bebia cerveja com amigos em um bar próximo ao hotel. Ela teria pedido um autógrafo: “falei que naquele momento não dava e pedi para ela voltar depois”.

Flávia teria começado a gritar e, para evitar confusão, Anderson foi embora. Já em seu quarto no hotel, teria sido avisado de que havia uma mulher fazendo um escândalo no saguão. Ele afirmou que processaria Flávia por injúria após o ocorrido.

Evento com Anderson do Molejo é cancelado

As apresentações do show Stand-up Comedy com Anderson do Molejo, que fez sua estreia em dezembro de 2020, também foram encerradas. Um comunicado foi publicado pelos organizadores após as denúncias de suposto estupro.

Na nota, porém, destaca-se que o projeto “está definitivamente encerrado por questões de natureza profissional”, já que o empresário e o artista não tinham um “bom relacionamento profissional, com questões básicas de organização e seriedade”.

O comunicado destaca que a “decisão em encerrar o projeto nada tem a ver com a acusação de estupro (que apareceu hoje na mídia) envolvendo o Anderson. Em relação ao caso, espero que ele possa provar inocência”.

Nota de Anderson Leonardo:

“O Cantor [Anderson Leonardo] foi surpreendido, assim como todos, com o que foi veiculado na imprensa na data de hoje, não tendo qualquer conhecimento acerca do publicado em redes sociais ou mesmo em sede policial, vez que não foi intimado para prestar quaisquer informações, pelo que, não teve nem mesmo ciência do que consta do registro de ocorrência.

Esclarece ainda que lamenta profundamente as declarações envolvendo seu nome, refutando qualquer ato de violência contra quem quer que seja, negando categoricamente à acusação completamente falsa de agressão sexual feita em seu desfavor.

Ressalta, outrossim, que em mais de 30 anos de vida pública, jamais tivera seu nome ligado a qualquer ato criminoso ou que viesse a desabonar ou macular a sua imagem e carreira, seja de sua vida profissional ou pessoal.

Informa também que conhece a suposta vítima, mas jamais praticou os atos veiculados na imprensa, inclusive, tem conhecimento que a suposta vítima já esteve presente em diversas apresentações artísticas do Cantor, em ocasiões posteriores à falaciosa alegação, o que demonstra, claramente, que a narrativa publicada nunca ocorreu.

Assim, o cantor esclarece, por meio de sua assessoria, que os fatos publicados não são verdadeiros, repudiando veementemente os profissionais que praticam o jornalismo inverídico, sensacionalista e desarrazoado.”

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.