BUSCAR
BUSCAR
CPI da Covid
Pré-candidato a deputado federal em 2022, Kelps defende que relatório da CPI da Covid foi técnico
O deputado Kelps Lima explicou os próximos passos da CPI da Covid-19 após a apresentação e votação do relatório
Adenilson Costa
18/12/2021 | 08:41

Os trabalhos da CPI da Covid-19 da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte chegaram ao final, após a votação e aprovação de parte do relatório apresentado pelo deputado Francisco do PT, e das emendas (votos divergentes) apresentados pelos deputados de oposição. Agora, os documentos da comissão seguem para a Procuradoria da Assembleia, para redação do texto final e, em seguida, serão encaminhados aos órgãos de investigação. Durante quatro meses e meio, foram reunidos milhares de documentos e colhidos os depoimentos de 72 testemunhas, entre convidados e investigados.

Segundo o deputado estadual Kelps Lima (SDD), o material é composto por uma documentação robusta, que ocupa um arquivo com mais de 20 gigabytes, “que vai demorar uns 40 dias para a conclusão da redação. Em seguida, essa documentação é enviada para os processos de investigações que já estão abertos”, explicou.

O deputado continuou, “como 11, dos 13 processos, são com recursos federais, a maioria dos órgãos acionados será federal. No caso do Consórcio Nordeste, já existem diversos inquéritos abertos no Superior Tribunal de Justiça (STJ), investigando o governador da Bahia Ruy Costa (PT). “Já a outra parte dos arquivos da CPI seguirão para a Polícia Federal, Polícia Civil da Bahia e o Tribunal de Contas da União (TCU)”, destacou Kelps.

Em entrevista ao jornal AGORA RN, nesta sexta-feira 17, Kelps disse, “nós vamos enviar as outras documentações, que fazem parte de outros processos, para os órgãos de controle. Eles farão outras investigações, cuja maioria é sigilosa. Caberá ao Ministério Público, Judiciário e a Polícia Federal tomarem as providências necessárias para as próximas etapas das investigações”, enfatizou.

A CPI concluiu, nesta quinta-feira, pelo indiciamento, por improbidade administrativa da governadora Fátima Bezerra (PT), do governador da Bahia Rui Costa (PT), dos ex-ministros de Estado Carlos Gabas e Edinho Silva (atual prefeito de Araraquara/SP), do secretário de Saúde do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia. Além deles, empresários e outros servidores públicos também foram indiciados.

Para Kelps, a CPI, “cumpriu com o seu papel, que é fazer o inquérito e levantar os indícios. E levantou um volume brutal de documentos e depoimentos que, com certeza, irão ajudar a recuperar recursos para o povo do Rio Grande do Norte e punir os culpados por desvios ou mau uso do dinheiro público”, destacou.

“Sem cunho político”

Kelps Lima, que estuda a possibilidade de se lançar como pré-candidato ao cargo de deputado federal nas eleições do próximo ano, desmentiu as informações de que a CPI da Covid-19 tenha tido cunho político.

“A comissão foi um trabalho técnico. Quando a crítica não é rebatendo com argumentos objetivos e técnicos, não passa de uma crítica vazia. Essa é o tipo de crítica que mais me deixa na certeza de que o nosso trabalho foi correto, porque elas não são em pontos objetivos do trabalho realizado pela CPI. Essas críticas genéricas, ao meu ver, só ratificam o nosso trabalho, só endossa que o que a gente fez foi correto”, ressaltou.

O relatório do deputado Francisco do PT havia sugerido o indiciamento de quatro pessoas por estelionato, Cristiana Prestes Taddeo e Luiz Henrique Ramos Jovino, da Hempcare, além dos empresários Paulo de Tarso Carlos, da Biogeoenergy, e Cleber Isaac Ferraz Soares, “mas nenhuma delas era do PT”, enfatizou.

Questionado sobre os motivos do relator não ter sugerido o indiciamento de algum petista, Kelps explicou, “ele tem uma limitação partidária. Para se ter uma ideia, até o deputado George Soares pediu o indiciamento de membros do PT e só o deputado Francisco não pediu o indiciamento de ninguém do PT. Até George votou a favor de indiciar Rui Costa, Carlos Gabas e Edinho do PT. Porque é a visão dele, mas não é a minha e nem a de George Soares”.

E continuou: “eu espero que o dinheiro que foi perdido seja recuperado, não só o do Consórcio Nordeste, mas dos outros contratos. Espero também que quem teve envolvimento tanto do ponto de vista do mau uso do dinheiro público, receba as punições cíveis, ou seja, de improbidade administrativa, como quem incorreu em crime receba as sanções penais”, destacou.

Eleições 2022

Em entrevista ao Jornal AGORA RN, nesta sexta-feira 17, Kelps Lima afirmou que o partido Solidariedade já está fechando as discussões em torna das candidaturas majoritárias, “há uma defesa interna de que pelo menos candidato a governador a gente lance um nome próprio, mas agora no final de outubro e início de novembro nós queremos fazer uma reunião, para tomarmos essas decisões”, esclareceu.

Questionado se a sua intenção é ser candidato a deputado federal nas eleições do próximo ano, o deputado disse, “a minha intenção é essa, mas esse é um passo que só vou dar no próximo ano”, disse.

“Não fizemos ainda reuniões partidárias para homologar nenhuma candidatura, porque os nossos agentes políticos estavam todos envolvidos nas questões de gerenciamento de mandatos. Já no meu caso, estava na CPI, mas em janeiro já começamos as discussões no partido em torno das eleições do próximo ano”, declarou.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.