BUSCAR
BUSCAR
Empreendedorismo
Potiguar é eleito como representante do empreendedorismo jovem no Brasil
O empresário júnior Elias Gabriel foi eleito presidente executivo da entidade que representa o movimento empresa júnior no país, a Brasil Júnior
Karen Sousa
13/12/2023 | 06:30

O potiguar Elias Gabriel, estudante do curso de Gestão de Políticas Públicas na UFRN e presidente executivo em 2023 da RN Júnior, federação de empresas juniores do Rio Grande do Norte, foi eleito para ocupar o cargo de próximo presidente da Confederação Brasileira de Empresas Juniores (Brasil Júnior), entidade que atua a nível nacional e representa o movimento empresa júnior (MEJ) no país.

A confederação que se identifica como um agente de formação de lideranças empreendedoras abarca todas as empresas juniores (EJs) do país, as quais são organizações sem fins lucrativos vinculadas às Instituições de Ensino Superior (IESS). As EJs têm CNPJs próprios e atuam com a finalidade de realizar atividades que contribuam para o desenvolvimento acadêmico e profissional dos seus membros, com foco em ações de capacitação feitas a partir da obtenção dos recursos financeiros por meio da venda de produtos e serviços. De acordo com dados coletados pela Brasil Júnior, já são 1.612 empresas juniores em atividade no país.

Depois de atuar como presidente executivo da federação potiguar e como membro na empresa júnior do curso de Gestão de Políticas Públicas na UFRN, a Gestarc, enquanto presidente da Brasil Júnior em 2024, Elias Gabriel terá participação no desenvolvimento de trabalhos ligados às bandeiras do movimento em todo o país: a juventude, a educação e o empreendedorismo. 

“Todo o trabalho será voltado para geração de oportunidades para a Rede Brasileira, por meio de agentes do ecossistema dessas três frentes, posicionamento da marca Brasil Júnior no país e consolidação de um modelo de trabalho que permita maior acessibilidade e permanência da juventude empreendedora dentro do movimento”, completou.

A missão do estudante será tornar o país um ambiente empreendedor para jovens que estão na faculdade, objetivo que ele já tinha quando ingressou na RN Júnior. “Um dos principais desafios que enfrentei, desde quando entrei na RN Júnior em 2022 como coordenador institucional da presidência executiva, foi o de fortalecer a marca da federação e torná-la mais presente no ecossistema empreendedor do estado”, disse.

Ele conta que mesmo com dificuldades, as conquistas estiveram presentes na história da federação nos últimos anos, entre elas a aquisição da cadeira titular de Juventude e Trabalho no Conselho Estadual de Juventude (Cejuv/RN), da cadeira no Conselho Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação do Rio Grande do Norte (Coneciti/RN) e da cadeira diretora na área de Juventude e Empreendedorismo da CDL Jovem RN, além do título de Reconhecimento de Utilidade Pública diante do Governo do Estado.

Para Elias Gabriel, a conquista de ser eleito presidente da Brasil Júnior não pertence só a ele, mas a muitas pessoas. “Vejo essa conquista como de muitas pessoas que puderam estar comigo durante toda minha trajetória no movimento empresa júnior, é algo coletivo, não individual”, afirmou.

O empresário júnior disse que, ao entrar na Gestarc ainda em 2019, o principal objetivo era ter uma experiência profissional antes de ir para o mercado de trabalho, mas depois de ter uma vivência empresarial, esse propósito se transformou na finalidade de “como, a partir daquilo que sei, posso fazer com que mais pessoas tenham essa mesma oportunidade que tive e consequentemente, o privilégio de mudar suas vidas a partir do movimento empresa júnior?”, relatou. 

245 mil jovens entre 15 e 29 anos não estavam envolvidos em atividades de estudo ou trabalho em 2022, de acordo com um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a pesquisa, a maioria dos jovens não fazia parte da força de trabalho, ou seja, não estavam empregados nem buscavam ativamente uma colocação. Já entre os 13 mil jovens de 15 a 17 anos no estado que não estavam envolvidos em estudos ou empregados, 98,8% estavam fora da força de trabalho.

O empreendedorismo na faculdade surge como um espaço de inclusão produtiva, segundo Elias. Ele ressalta que faz parte da sua missão e expectativa como presidente da Brasil Júnior responder à problemática da juventude ociosa no mercado brasileiro a partir da motivação da permanência de jovens no ensino superior e no movimento empreendedor. “Agora, as maiores expectativas para o meu trabalho é de unir as nossas bandeiras enquanto movimento para promover uma maior acessibilidade e permanência com o objetivo de mais jovens terem a oportunidade de vivenciar o movimento empresa júnior”, concluiu.

Nos últimos cinco anos, é a segunda vez que a entidade que representa o empreendedorismo jovem no Brasil tem um potiguar como presidente executivo. Para o coordenador da Central de Empresas Juniores (CEJr) da UFRN, Kleber Cavalcante, a eleição do estudante de Gestão de Políticas Públicas é um sinal de que a universidade está no caminho certo, mas que deve inovar ainda mais enquanto instituição empreendedora.

Entre os projetos de inovação, o coordenador conta que estão o lançamento do Espaço Coworking para as empresas juniores da UFRN, ações permanentes de integração no espaço, congressos de empreendedorismo no Seridó e iniciativas que busquem capacitar profissionalmente os estudantes da universidade. 

Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.