BUSCAR
BUSCAR
Droga
Polícia da Austrália apreende 552 kg de cocaína em polpa de banana brasileira
A apreensão foi resultado da Operação Stalwart, que começou em setembro de 2020, seguindo informações de autoridades dos Estados Unidos
CNN Brasil
19/10/2020 | 16:11

Autoridades australianas apreenderam 552 quilos de cocaína escondidos em um carregamento de polpa de banana importado do Brasil. Em comunicado conjunto divulgado no sábado 17, a Polícia Federal Australiana e a Força de Fronteira do país informaram que um homem de 68 anos foi preso em Sydney por suspeita de envolvimento com o caso.

A apreensão foi resultado da Operação Stalwart, que começou em setembro de 2020, seguindo informações de autoridades dos Estados Unidos sobre um carregamento suspeito com destino à Austrália.

Oficiais da Força de Fronteira Australiana examinaram a remessa que chegou a Sydney do Brasil em 21 de setembro de 2020. O contêiner refrigerado continha cerca de 2 mil caixas de polpas de frutas variadas, 275 delas com polpa de banana.

Os policiais australianos identificaram “anomalias” dentro dessas caixas, e um exame mais detalhado revelou uma substância branca segregada nos sacos de polpa de banana, que totalizava meia tonelada. Testes confirmaram que o composto é cocaína.

Geoffrey Turner, detetiva da Polícia Federal Australiana envolvido no caso, destacou que as restrições nas fronteiras do país por conta da pandemia de Covid-19 não impediram os grupos criminosos de tentar uma série de métodos para traficar drogas ilícitas.

“Os grupos do crime organizado e seus associados estão assumindo riscos maiores e procurando transportar mais mercadorias ilícitas a granel como resultado dos bloqueios globais. Eles acham que escolher itens do dia a dia, como frutas, seria inócuo o suficiente para impedir a detecção da polícia”, disse.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.