BUSCAR
BUSCAR
Enfrentamento
Pfizer: Brasil fica de fora de acordo de acesso global a genérico de medicamento contra Covid-19
Acordo inclui 95 países
AFP
16/11/2021 | 16:12

A Pfizer disse na terça-feira (16) que assinou um acordo de licenciamento para permitir um acesso global mais amplo à sua pílula experimental contra um Covid-19 .

De acordo com um pool de patentes de medicamentos, uma organização de saúde pública apoiada pelas Nações Unidas, p ermitiria aos fabricantes de genéricos tornar-se disponível em 95 países de baixa e média renda , cobrindo 53% da população mundial, disse a empresa.

Uma pílula, conhecida como PF-07321332 ou Paxlovid, deve ser administrada em combinação com um medicamento antiviral mais antigo, denominado ritonavir.

O Brasil ficou de fora do acordo , o que obrigará o país a comprar o comprimido diretamente do fabricante Pfizer , provavelmente a valores mais altos. Os vizinhos Bolívia e Venezuela foram incluídos, além de países como Afeganistão, Haiti, Etiópia e Índia.

No início mês, um Pfizer anunciou os principais resultados de seu ensaio, dizendo que uma análise provisória – feita antes do término do ensaio – revelou uma redução de 89% no risco de hospitalização ou morte por Covid-19 entre as pessoas que receberam o medicamento no primeiros três dias do início dos sintomas.

“A Pfizer não receberá royalties sobre as vendas em países de baixa renda, e ainda renunciará aos royalties sobre as vendas em todos os países abrangidos pelo acordo, enquanto a Covid-19 permanecerá informada como uma Emergência de Preocupação Internacional pela Organização Mundial da Saúde” , disse a Pfizer no comunicado.

O Pool de Patentes de Medicamentos, fundado pela Unitaid há 10 anos, facilita o acesso rápido a medicamentos para pessoas em países de baixa e média renda.

A Pfizer ainda não submeteu a pílula à autorização da Food and Drug Administration (FDA) dos EUA, mas disse que o faria antes do final do mês.

No final do mês passado, a Merck, a Ridgeback Biotherapeutics e o Medicines Patent Pool anunciaram um acordo de licenciamento voluntário para ajudar a criar um acesso mais amplo ao antiviral molnupiravir em 105 países de baixa e média renda.

O molnupiravir é um antiviral oral para o tratamento de casos Covid-19 níveis ou moderados por adultos em risco de desenvolver uma forma mais grave da doença e uma eventual hospitalização. Ele foi autorizado pela Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde do Reino Unido no início deste mês, e como empresas solicitam autorização do FDA dos EUA.

Merck, Ridgeback Therapeutics e Emory University – os criadores e detentores da licença do antiviral – não receberão royalties por essas vendas durante o tempo em que a Covid-19 permanecerá uma Emergência de Saúde Pública de Preocupação Internacional sob a classificação da Organização Mundial de Saúde, anunciaram.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.