BUSCAR
BUSCAR
Pandemia

‘Pelo que sei, menos da metade da população vai tomar vacina’, diz Bolsonaro

O presidente reforçou o compromisso do governo de começar a disponibilizar a vacina em janeiro. Após o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), prometer vacinar toda a população de São Paulo em 2021
Estadão
07/01/2021 | 12:31

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 7, que menos da metade da população brasileira pretende tomar a vacina contra a covid-19. O dado, porém, foi citado por Bolsonaro como resultado de um levantamento próprio feito por ele na praia e nas ruas. “Alguém sabe quantos por cento da população vai tomar vacina? Pelo que eu sei, menos da metade vai tomar vacina. E essa pesquisa que eu faço, faço na praia, faço na rua, faço em tudo quanto é lugar”, disse Bolsonaro a apoiadores em frente ao Palácio do Alvorada.

De acordo com pesquisa do instituto Datafolha publicada na primeira quinzena de dezembro, o porcentual de brasileiros dispostos a se vacinar contra a covid-19 caiu de 89% na primeira quinzena de agosto para 73% em dezembro, e no mesmo período cresceu de 9% para 22% a parcela de pessoas que declaram que não querem tomar a vacina.

Bolsonaro assina mp que libera r$ 20 bilhões para comprar vacina
O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 7, que menos da metade da população brasileira pretende tomar a vacina. Foto: Alan Santos/PR

O presidente reforçou o compromisso do governo de começar a disponibilizar a vacina em janeiro. Após o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), prometer vacinar toda a população de São Paulo em 2021, Bolsonaro declarou que alguns Estados só estão anunciando um plano de vacinação porque o governo federal distribuiu recursos durante a prefeitos e governadores durante a crise.

O Brasil anunciou a importação de 2 milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca neste mês. Bolsonaro deu garantia que haverá seringas para todo mundo que desejar se vacinar.

O presidente suspendeu a compra de seringas e agulhas até que os preços “voltem ao normal”. A medida ameaça o calendário de vacinação contra a covid-19 e outras doenças no País. Bolsonaro rebateu a estimativa declarando que há material nos Estados para vacinação. O mandatário justificou a suspensão pela alta de preços.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Ronnie Lessa confessa assassinato de Marielle Franco e diz que poderia lucrar R$100 milhões com crime
Depoimento veiculado no Fantástico aponta suposta motivação financeira e envolvimento de políticos
27/05/2024 às 10:00
Rio Grande do Sul tem alerta de perigo para chuvas e ciclone
Aviso é emitido por meteorologistas
27/05/2024 às 09:22
Inscrições para o Enem 2024 começam hoje
Provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro
27/05/2024 às 08:34
Enem 2024: inscrições começam nesta segunda-feira
Candidatos podem se inscrever até 7 de junho e pagar taxa até 12 de Junho
26/05/2024 às 17:38
Com fim de semana de trégua, chuva deve voltar ao RS nesta segunda
Defesa Civil alerta para transbordamento de rios e arroios
26/05/2024 às 17:15
Simaria quebra o silêncio e revela se ainda fala com Simone Mendes
A dupla está separada artisticamente desde 2022 e foi vista poucas vezes interagindo publicamente, aumentando especulações sobre conflitos
26/05/2024 às 16:18
Defesa Civil do RS contabiliza 200 toneladas de alimentos doados
Itens foram distribuídas em 167 municípios
26/05/2024 às 15:28
Número de mortes causadas pelas chuvas no RS sobe para 169
Chuvas fortes deram trégua neste fim de semana
26/05/2024 às 13:32
Edital destina até R$ 500 mil para projetos sobre direito à educação
Propostas apresentadas precisam ter impacto em escolas públicas
26/05/2024 às 13:25
STF prorroga cotas raciais em concursos até Congresso votar nova lei
Senado já aprovou continuidade da política; falta Câmara analisar
26/05/2024 às 13:22
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.