BUSCAR
BUSCAR
Desenvolvimento

“Peguei Semurb com R$ 700 mil em caixa e hoje estamos com mais de R$ 10 milhões”, diz Thiago Mesquita

Secretário de Meio Ambiente e Urbanismo comemora ganho de produtividade da pasta
Redação
24/10/2023 | 05:00

Alvarás, habite-se, consultas prévias, autorizações ambientais, cartas de aforamento e certidões diversas. Tudo isso já foi muito lento e cansativo no passado recente até que um milagre aconteceu. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) operou um choque de gestão de dimensões planetárias a partir da histórica revisão do Plano Diretor de Natal.

Hoje, muito por conta disso, o titular da pasta, Thiago Mesquita, mesmo sem ter qualquer filiação partidária, chegou a ser mencionado pelo próprio prefeito Álvaro Dias (Republicanos) como um bom nome técnico para sucedê-lo.

thiago mesquita
Secretário de Meio Ambiente e Urbanismo de Natal, Thiago Mesquita, enaltece novo Código de Obras - Foto: Instagram / Reprodução

“Fiquei muito feliz e lisonjeado com as palavras do prefeito, mas por enquanto estou absolutamente focado nos desafios da Semurb”, diz Thiago, com modéstia. Afinal, como ele mesmo diz, não adianta um bom Plano Diretor e um bom Código de Obras sem eficiência no licenciamento.

Para obter essa quebra de paradigma na atuação de uma secretaria que já foi odiada no passado por muitos contribuintes, que esperavam anos para licenciar suas obras, Thiago passou a tratar cada um desses mesmos contribuintes como clientes valiosos para a secretaria.

“Sempre digo para a equipe que do menor contribuinte ao maior a gente deve estender o tapete vermelho, tratar com respeito, trabalhar com rapidez e qualidade quem investe na cidade de Natal”, afirma.

Mas, para aproximar o conceito de gestão de algo totalmente novo em se tratando do serviço público, Thiago começou pela total reformulação financeira da Semurb.

“Peguei a Secretaria com R$ 700 mil em caixa e hoje estamos com mais de R$ 10 milhões”, ele se gaba. “Diminuímos consideravelmente os custos e aumentamos receitas, principalmente olhando o Plano Diretor e outras oportunidades paradas na secretaria”, acrescenta.

Uma grande ajuda externa, ele admite, foi a regulamentação das micro e pequenas empresas, permitindo por meio da autodeclaração que se licencie até 459 atividades.

“Isso criou receita rápida e possibilitou gerir melhor a secretaria do ponto de vista econômico e financeiro. Pudemos com isso investir em novos equipamentos para análise, na fiscalização, em módulos relacionados à parte de licenciamento”, lembra o secretário.

Graças a essa injeção financeira, diz, hoje é possível entrar no mapa interativo no Japão e, em 30 segundos, conhecer as mais de 8 mil quadras de Natal, o potencial construtivo de cada uma delas, quais os regramentos urbanísticos.

“Todas as informações para quem quer investir na cidade estão a um clique do mouse”, comemora. E com razão. Somente os municípios de Natal e do Rio de Janeiro oferecem isso ao investidor no Brasil.

“Somos uma das poucas secretarias do Rio Grande do Norte que remunera seus servidores por produtividade. No ano passado, a Semurb investiu nos analistas concursados da Secretaria pouco mais de R$ 1 milhão. Este ano, a verba é de R$ 2 milhões”, pontua.

A consequência dessa política heterodoxa no funcionamento da Semurb é que, hoje, há uma corrida dos analistas por celeridade com mais qualidade na análise. Porque o profissional é remunerado por produtividade.

“O avanço da visão, o avanço tecnológico acompanhado do aumento dos investimentos foi o que nos permitiu licenciar mais rápido e com mais qualidade. O resultado foi o crescimento entre 300% a 400% das licenças ambientais urbanísticas”, conclui.

Tem que melhorar? Para Thiago, tem sim. “A Semurb precisa caminhar para um novo concurso público. Mas Natal hoje tem na Secretareia uma das melhores do Brasil em qualidade e quantidade de atos administrativos. Não adianta ter uma boa letra do Plano Diretor, um bom Código de Obras se os processos ficassem parados na secretaria”, observa.

Demitido da Petrobras, Prates terá direito a 6 meses de salário extra
Demitido da Petrobras, Jean Paul Prates terá de cumprir seis meses de quarentena, com salário mensal de R$ 133 mil até novembro
21/05/2024 às 15:55
Faustão faz primeira aparição após transplante de rim
Apresentador participou da festa de aniversário do filho caçula
21/05/2024 às 14:23
Batata, banana, laranja e melancia estão mais baratas, segundo a Conab
Cenário é de preço menor também para a banana
20/05/2024 às 12:54
Seguro obrigatório voltará a ser pago em 2025
Nova taxa prevê pagamento de serviços médicos a vítimas de acidentes
17/05/2024 às 14:58
Analfabetismo cai, mas 11,4 milhões ainda não sabem ler e escrever no Brasil, diz IBGE
Em 13 anos, taxa teve uma redução de 2,6 pontos percentuais, caindo de 9,6% para 7%
17/05/2024 às 14:43
Após tratamento para erisipela, Bolsonaro tem alta de hospital
Ex-presidente estava internado no Hospital Vila Nova Star, São Paulo
17/05/2024 às 13:04
Caixa começa a pagar Bolsa Família de maio
Pagamento no Rio Grande do Sul é unificado
17/05/2024 às 12:08
Lula sanciona volta da cobrança do seguro Dpvat, mas veta multa por não pagamento
Presidente vetou os artigos que estabeleciam multa pela falta de pagamento do Seguro Obrigatório
17/05/2024 às 12:00
Judiciário repassa R$ 130 milhões para Defesa Civil gaúcha
Tribunal de Contas deverá fiscalizar aplicação dos recursos
16/05/2024 às 16:48
Android terá ‘modo ladrão’ que bloqueia tela do celular caso alguém o arranque de sua mão
Novidade poderá bloquear a tela do celular ao identificar que alguém arrancou o aparelho de sua mão abruptamente
16/05/2024 às 15:41
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.