BUSCAR
BUSCAR
Futebol
Órgão que regula o futebol altera regra sobre mão na bola
Novas medidas passarão a valer a partir de 1º de julho
UOL
05/03/2021 | 20:26

A IFAB, órgão que regula as regras do futebol, anunciou hoje, em reunião anual, que vai alterar a regra sobre mão na bola. As novas medidas passarão a valer a partir de 1º de julho.

A principal mudança diz que um toque acidental na mão ou no braço que leva um companheiro de equipe a marcar um gol ou a ter a oportunidade de fazer um gol não será mais considerado uma infração.

Os membros do órgão confirmaram que nem todo toque na mão ou braço de um jogador com a bola é uma infração.

“Em termos do critério da mão ou do braço tornar o corpo de um jogador ‘anormalmente maior’, foi confirmado que os árbitros devem continuar a usar seu julgamento para determinar a validade da posição da mão ou do braço em relação ao movimento do jogador naquela situação específica”, diz a IFAB, em nota.

Desta forma, é uma infração de mão na bola se um jogador:

  • tocar a bola deliberadamente com a mão ou braço, por exemplo, movendo a mão ou o braço em direção à bola;
  • tocar a bola com a mão ou com o braço quando isso torna seu corpo anormalmente maior. Considera-se que um jogador deixou seu corpo anormalmente maior quando a posição de sua mão ou braço não é uma consequência do movimento corporal do jogador para aquela situação específica. Por ter sua mão ou braço em tal posição, o jogador corre o risco de sua mão ou braço ser atingido pela bola e ser penalizado;
  • marcar um gol diretamente da mão ou do braço, mesmo que acidental, inclusive pelo goleiro;
  • marcar um gol imediatamente após a bola tocar sua mão ou seu braço, mesmo que acidentalmente.
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.