BUSCAR
BUSCAR
Declaração
Omar Aziz diz que Teich e Mandetta mentiram na CPI da Covid e dispara sobre ex-Ministro: “posou de bom moço”
Presidente da comissão afirmou que os ex-ministros da saúde sabiam sobre o aconselhamento paralelo do presidente Jair Bolsonaro para a saúde durante a pandemia da Covid-19
IG
22/05/2021 | 13:34

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, o senador Omar Aziz (PSD-AM) afirmou que os ex-ministros da saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich mentira em seus depoimentos. Ele defende que os dois sabiam sobre o aconselhamento paralelo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para a saúde durante a pandemia da Covid-19, apesar de terem negado.

“O Mandetta foi lá [na CPI] e posou de bom moço, mas ele disse que esqueceu quem estava na sala da reunião para mudar a bula da cloroquina. Como é que o Mandetta esqueceu da [Nise] Yamaguchi e do [Walter] do Braga Neto? Ele não esqueceu, ele não quis se comprometer. Já o presidente da Anvisa se lembrou de todo o mundo, só não lembrou do nome de um médico”, disse Aziz.

E completou: “Aí a gente pergunta, ministro Mandetta, qual era esse grupo que dava orientação parela [ao presidente]? E ele diz ‘ah, não sei’. Sabe sim! O Teich também sabe! Mentiram. Não falaram a verdade na CPI”, completou o senador.

“Se há um ano e pouco, quando ele saiu [do ministério], ele tivesse dito que pediram para que mudassem a bula da cloroquina, o Congresso e os cientistas já teria tomado providências sobre isso. Mas não falou, só falou na CPI”, finalizou Aziz.

O senador fez a declaração sobre o assunto em entrevista ao quadro “Prerrogativas”, do portal Brasil 247, em entrevista para cinco pessoas.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.