BUSCAR
BUSCAR
Dados
Número de crimes violentos letais intencionais cai 20% no RN em quase dois anos
Além dos números de CVLIs, os crimes de homicídio doloso também apresentaram uma redução significativa. As estatísticas indicam que na somatória dos anos de 2015 e 2016 foram contabilizados 2.794 casos, 25,40% a mais do que no mesmo período em 2019 e 2020
Redação
07/11/2020 | 11:35

Dados estatísticos apurados pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (Coine), da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), apontam redução de crimes violentos letais intencionais (CVLIs) no Rio Grande de Norte. No comparativo com o período de quase dois anos de 2015 e até novembro de 2016 (quando ocorreram 3.327 CVLIs), a queda dos números nesses 670 dias de 2019 a 2020 (quando foram registrados 2.702 CVLIs) resulta em uma diminuição de 20,7% das ocorrências desse tipo.

Além dos números de CVLIs, os crimes de homicídio doloso também apresentaram uma redução significativa. As estatísticas indicam que na somatória dos anos de 2015 e 2016 foram contabilizados 2.794 casos, 25,40% a mais do que no mesmo período em 2019 e 2020, quando a Coine registrou 2.086 ocorrências. Outro tipo criminal que apresentou diminuição foi o de feminicídio, caindo de 68 registros na somatória do período que engloba 2015 e 2016, para 32 no mesmo espaço de tempo em 2019 e 2020, uma queda de 52,90%.

Em Natal o índice reduzido que mais se destaca também ocorreu diante dos homicídios dolosos. Somadas as estatísticas do período mencionado, a Sesed aponta 529 casos, contra 991 da do mesmo período de tempo. Essa importante diminuição nos números resultou em menos 46,80% dos crimes.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.